Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Scroll to top

Top

3 dicas simples para organizar a vida financeira

3 dicas simples para organizar a vida financeira
14:00 pm ,16 de junho de 2016

Muitos brasileiros ainda encontram dificuldades em disciplinar as próprias finanças. O desequilíbrio do orçamento pode ser reflexo da falta de organização e não necessariamente porque se ganha pouco. Em muitos casos esse desajuste de gastos pode adiar a compra da casa própria, carro, viagens, estudos e planejar o futuro com liberdade financeira.

Existe um consenso de que não se deve gastar mais do que se ganha. Embora seja uma observação simples e dita há muito tempo, muita gente se esquece que, ao quebrar essa lógica, posterga-se os planos e a possibilidade de se ter uma reserva financeira para gastos inesperados. Quem consegue administrar bem suas finanças pessoais pode planejar o mês, o ano, o semestre sem ter necessariamente que parar de gastar e consumir.

É necessário, antes de tudo, saber que tipo de gasto deve ser priorizado uma vez que todos os outros também são importantes. Ricardo Assaf, fundador da EMPRESTA Capital, presidente da ABSCM – Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito com MBA em Negócios pela Universidade de Cambridge, sugere algumas dicas para equilibrar o orçamento diário.

1 – Crie uma planilha. O primeiro passo é fazer um diagnóstico de todos os gastos fixos que tem como aluguel da casa, carro, IPTU, escola, cartão de crédito, condomínio e convênio médico. Comece a anotar as despesas mensais e diárias para saber exatamente em que seu dinheiro está sendo empregado. De um lado insira em que foi gasto e, do ouro, o valor. Se alguma compra foi feita em prestação, é importante mencionar o número de parcelas e os juros em cada uma. Caso não queira fazer manualmente a planilha, procure gerenciadores e aplicativos financeiros disponíveis e gratuitos na web.

2 – Delimite gastos. Para muita gente o cartão de crédito é um vilão e um dos principais perigos do orçamento doméstico, seja pela dificuldade de controle das dívidas, seja por não saber planejar as compras. Nesse caso, a dica é determinar um porcentual de limite de gasto mensal, uma espécie de meta. O importante é não comprometa mais que 30% da sua renda líquida mensal e evite ao máximo pagar o valor mínimo do cartão.

3 – Repense prioridades. Para ter o controle das finanças pessoais é fundamental que saiba o que é gasto essencial e supérfluo. As contas essenciais (escola, aluguel, condomínio, prestação de casa, parcela de carro, seguro médico e outros) são os gastos fixos e esses devem ser as prioridades de pagamento. Partindo dessa ideia ficará mais fácil saber aonde se quer chegar e desfrutar da saúde financeira.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanhaTodos os direitos reservados