Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Scroll to top

Top

4 passos para digitalizar pequenos negócios

4 passos para digitalizar pequenos negócios
16:00 pm ,2 de novembro de 2016

Qual é o impacto da tecnologia para os pequenos estabelecimentos comerciais? Muito se fala sobre a importância da tecnologia para os grandes varejistas, mas a pergunta que fica é: como os pequenos podem se beneficiar dela para buscar mais espaço no mercado?

O fato é que na busca por fazer o negócio crescer rapidamente, mas sem o devido controle, muitos se perdem pelo caminho. O vice-presidente de

Micro e Pequenos Negócios da TOTVS, Eros Jantsch, assinala que o pequeno varejista tem como costume controlar a empresa pela simples entrada e saída de dinheiro do caixa e isso é bastante perigoso. Segundo ele, o ideal é acompanhar as vendas, os custos da empresa, as contas a pagar e a movimentação do capital. E isso pode ser obtido por meio de uma ferramenta que auxilie a visualização do fluxo de caixa de forma precisa.

A fidelização dos consumidores é outro ponto destacado por ele. “É importante conhecer o perfil de consumo de cada um dos clientes para, com base nele, oferecer um atendimento personalizado, prever comportamentos e demandas, oferecer promoções certeiras e aumentar as vendas”, diz. Para ele, não usar a tecnologia a favor desse movimento é como se atirar em um buraco sem fundo quando, na verdade, existe aí uma oportunidade para dar um salto e sair na frente.

Jantsch elenca quatro passos fundamentais para o pequeno varejista digitalizar a empresa de forma mais segura e eficaz. Confira:

1 – Converse com seu contador, com outros varejistas e busque referências

Nesse item, o vice-presidente de Micro e Pequenos Negócios da TOTVS, ressalta a importância de todo pequeno estabelecimento ter como parceiro um contador que dê auxílio e apoio para entender quais obrigações fiscais precisam ser seguidas e, assim, identificar as tecnologias necessárias. “Além disso, é importante conversar com pessoas que tenham o mesmo tipo de comércio que você para compreender o dia a dia da operação e todas as questões que o software de gestão deve atender”, completa.

2 – Busque uma empresa de tecnologia que ofereça a solução ideal
No Brasil, assim como em muitos outros países, as empresas precisam automatizar processos para obter operações mais eficientes, ter bom controle do negócio e um atendimento fiel às diversas obrigações fiscais. Por isso, Jantsch destaca que as micro e pequenas empresas devem, acima de tudo, buscar um fornecedor de tecnologia que entenda do negócio, das legislações brasileiras e consiga atender a todas as demandas e necessidades apontadas.

3 – Fuja de problemas que possam ser evitados

Outro conselho dado por Jantsch refere-se à escolha do fornecedor de tecnologia. Segundo ele, ao buscar um fornecedor de TI, a empresa deve certificar-se de que está contratando uma empresa que resolverá o seu problema em vez de criar mais um. “Procure uma organização que esteja presente no mercado há anos e ofereça uma solução que atenda a todas as suas necessidades e que caiba no seu bolso”, diz. Ele considera que atualmente, ao comprar uma solução completa – hardware e software –, não é mais necessário fazer um alto investimento inicial. “Por meio de pequenas parcelas mensais, os pequenos empresários conseguem contratar todos os equipamentos necessários para modernizar a gestão da sua empresa”, explica.

4 – Adquira soluções modernas e funcionais
O último e quarto fator a se considerar no momento de contratar uma empresa de tecnologia são as soluções oferecidas por ela e que podem ser um diferencial importante no segmento de atuação do pequeno negócio. “Não compre uma solução apenas porque ela é moderna. Estude o produto, veja os relatórios oferecidos e avalie como a ferramenta irá ajudá-lo a ter uma operação mais lucrativa antes de adquiri-lo. Ainda mais em um cenário em que, independentemente do seu porte, já existem soluções completas e móveis com um custo compatível à sua realidade e desenvolvidas especialmente para cada especialidade do setor – de um food truck a uma loja de roupas ou bijuterias”, assinala.

Para finalizar, Jantsch aponta a mobilidade como item que não pode passar despercebido pelas pequenas empresas que querem digitalizar a operação. “Ela permite, entre tantos outros benefícios, atender melhor os clientes e transformar o dia a dia dos gestores ao permitir a visualização da operação – vendas, pagamentos e recebimentos futuros – a qualquer hora e lugar por meio de um smartphone ou tablet”, conclui.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanhaTodos os direitos reservados