Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

5 dicas para reduzir custos sem fazer cortes radicais na empresa

5 dicas para reduzir custos sem fazer cortes radicais na empresa
11:00 am ,7 de setembro de 2017

Se a crise econômica que assola o país ainda parece estar longe do fim, uma das consequências naturais dessa retração é a paralisação de investimentos dentro das empresas. Em muitos casos, a tomada de decisão é a mesma: demissão de colaboradores e aumento dos preços, o que acaba comprometendo a qualidade.

Mas, em vez de simplesmente tomar essa decisão, algumas alternativas estão justamente em outras atitudes, mais simples, como revisar pequenas despesas e até investir no gerenciamento de serviços que vão permitir uma redução de gastos no médio prazo.

Confira abaixo 5 dicas que os empresários podem adotar sem precisar tomar medidas radicais.

1. Revisar o benefício refeição
Atualmente existem diversas opções no mercado que disponibilizam o benefício refeição como a ValeCard, que não cobram taxa administrativa e ainda oferece desconto de 3% sob o valor de carga efetuada nos cartões. “O desconto é aplicado durante todo o ano e é possível deduzir até 4% no imposto de renda” – garante o Gerente de Produto Benefício, Diego Battistella.

2. Compartilhar imóveis com outras empresas
Em busca da redução de custos, algumas empresas encontraram a solução não só no processo de construção do espaço utilizado como também em sua manutenção: o compartilhamento de serviços. O CEI (Centro Empresarial e Industrial) Nove de Julho, empreendimento em Americana desenvolvido pela Cemara Loteamentos, possui uma associação para o compartilhamento de serviços terceirizados, como recursos humanos, segurança, limpeza, empresa de alimentação, entre outros. “Um cluster como esse pode render uma série de vantagens para as empresas envolvidas. É um estímulo para buscar novos parceiros e gerar relações produtivas para o seu negócio”, afirma Marcos Dei Santi vice-presidente de Novos Negócios e Operações da Cemara.

Já a TRX, um dos principais players da área de real estate corporativo e industrial do Brasil, também é adepta do compartilhamento de serviços dentro de seus empreendimentos. A empresa tem condomínios logísticos de galpões espalhados por todo o País que podem abrigar em um mesmo espaço empresas de diferentes segmentos de atuação. “O perfil dos ativos industriais e logísticos no Brasil, de maneira geral, ainda é muito obsoleto. A maioria dos que existem é isolada e ineficiente. Quando há oportunidade para se instalar em um espaço com toda a infraestrutura necessária para uma operação eficiente, as empresas enxergam grande valor agregado”, comenta José Alves Neto, um dos fundadores da TRX.

3. Gerenciar o estoque de mercadorias
Em pesquisa realizada no segundo semestre de 2015 pelo IDG Research Services, que oferece serviços em informações estratégicas de marketing, foi mostrado que empresas que usam sistemas de gestão corporativa crescem 35% mais rápido e têm produtividade 10% maior do que aquelas que não usam esse tipo de solução. A Mega Sistemas, por exemplo, é uma das empresas que desenvolve esse tipo de tecnologia, que também recebe o nome de ERP (Enterprise Resource Planning) e tem clientes das mais diversas áreas, como Serviços, Agronegócio e Construção. Dentre suas funções, o software permite que empresas que contam com estoque possam gerenciar melhor suas mercadorias, evitando desperdícios.

4. Investir no gerenciamento de frota
Empresas que contam com frota podem utilizar o gerenciamento de veículos e reduzir em até 25% os gastos com abastecimentos. Com a implementação de tecnologia, também é possível enxergar com transparência tudo o que está relacionado à estrutura de transporte e, com isso, enxugar outros gastos. “Conseguimos alcançar o controle de toda frota e, assim, maximizar o desempenho dos veículos e reduzir custos”, explica Edivaldo Ferreira Portela Junior Matriz, Gerente de Produto Frota da ValeCard.

5. Contratar o serviço de limpeza comercial
Um único contrato, 47 pontos de trabalho em 11 cidades diferentes. Este é retrato da prestação de serviços de limpeza e conservação de ambientes oferecida pela JAN-PRO à gigante das telecomunicações chinesa Huwai em sua operação no Brasil. Trata-se da adoção do sistema de contratos compartilhados, o que permite maior agilidade e produtividade nos resultados. “Nossos produtos tem uma tecnologia avançada que permite que o franqueado consiga reduzir o tempo de serviço em cada local, gerando uma produtividade enorme para a JAN PRO – com o uso de equipamentos adequados que vão desde o pano de microfibra, a vassoura ergométrica ou o aspirador ultrapotente, além de trazer uma economia para o cliente através da redução em produtos de limpeza e água, chegando a uma diminuição de até 60% no consumo mensal”, explica o diretor executivo da JAN PRO, Renato Ticoulat.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados