Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

5 diferenças de consumo entre a geração X e os millennials

5 diferenças de consumo entre a geração X e os millennials
16:00 pm ,25 de julho de 2017

Além dos millennials (geração Y), que fazem parte da geração que dita as tendências de consumo e comunicação, também é importante ficar de olho em outros perfis de consumidores, como os da geração X, que ainda têm uma forte participação no mercado.

Pensando em um cenário em que todos já foram apresentados ao mundo on-line e também no papel econômico da geração X (grupo de pessoas de 35 a 54 anos, que nasceram do início dos anos 60 a meados dos anos 80), o Grupo Abril trouxe a pesquisa recém-lançada “O X da questão”, que coloca luz sobre o comportamento dessa parcela da população e suas preferências.

Pelos resultados da pesquisa, fica nítido como a abordagem de comunicação para essas duas gerações (X e millennials) deve ser adaptada constantemente. Alguma delas deve ser enfatizada? Depende.

A linguagem e o timing apropriado das marcas para falar com seus consumidores varia conforme a ação em destaque. Uma mesma marca ou loja, por exemplo, pode precisar falar mais com os X para a venda de determinada categoria de produto e falar mais com os Y em outro momento.

Veja alguns dos principais insights trazidos pela pesquisa sobre as diferenças entre a geração X e os millennials, que podem ajudar a sua marca a não errar ao falar com cada uma dessas gerações:

Estética, Símbolos e Contexto

Geração X:
Não adianta querer vender para a geração X usando a linguagem dos millennials e vice-versa.
Muitas vezes, os indivíduos da geração X vão se identificar com atores de novelas conhecidos ou esportistas muito famosos.

Millennials:
Pop stars modernos, influenciadores digitais em geral e empreendedores tecnológicos donos de startups podem inspirar bastante os millennials, que são ávidos por novidades e estão sempre em busca das últimas tendências.

Onde estão?

Geração X: por incrível que pareça, ninguém é mais multiplataforma do que a geração X, simplesmente porque ela mistura as mídias off-line tradicionais às novas mídias da Internet e também está mais disposta a se aprofundar no conteúdo. Campanhas omnichannel distribuídas entre on e off ainda funcionam bem para esse público.

Millennials: os mais jovens, como millennials e geração Z, estão mais presentes nas redes sociais em geral, tendem a navegar de forma rápida e praticamente já abandonaram os canais off-line. O ideal é focar uma comunicação de impacto especialmente nos canais on-line. Para prender a atenção dos novos, é preciso ser muito criativo.

Razão X Emoção

Geração X:
Foca mais as características do produto ou serviço (77%) que ideias ou causas (23%).
Prefere simulações do serviço ou produto na vida real (85%) em vez de cenários inspiradores e que façam sonhar (15%).

Millennials:
São mais idealistas e gostam de ter uma ligação maior com o contexto em lugar de apenas focar o produto.
Estão abertos às causas modernas de sustentabilidade e diversidade de gênero.

Família X Amigos

Geração X:
Parece clichê, mas essa é a geração que mais se preocupa com a família. Afinal, muitos são provedores, tanto dos millennials e da geração Z quanto dos baby bommers. Mostrar a família de uma forma realista pode chamar muito a atenção das pessoas mais maduras.

Millennials:
Foco nos amigos, em novas descobertas e na popularidade. Essa é a fase em que estão abertos para explorar e descobrir cenários. Estão começando a se distanciar um pouco mais do núcleo familiar onde nasceram e ainda não estão prontos para formar o seu. Então, remeter à liberdade é sempre um caminho atrativo.

Conteúdo

Geração X:
Geralmente com um pouco mais de paciência para tal, os também estão dispostos a consumir conteúdo criado pelas marcas. Nas propagandas, gostam de material que ensine mais sobre o produto ou a categoria. Estão mais dispostos a pesquisar, ler reviews mais longos e comparar atributos em especificações técnicas.

Millennials:
Preferem conteúdo rápido e de impacto, que apele mais para o lado da identificação pessoal e por isso se ligam tão facilmente aos influenciadores que possuem um discurso despojado e direto. Como são mais ansiosos, formatos como vídeos curtos e gifs são bem atrativos para essa geração.

Cuidado com as generalizações
“O X não se olha no espelho toda manhã e diz ‘eu sou alguém da geração X, racional, provedor e ocupado.” – Melina Konstadinidis – CMO Abril

Não trate seu público apenas como uma parcela demográfica porque pode ser perigoso. A ideia da pesquisa é apenas trazer alguns insights gerais, mas se quiser resultado, vai precisar ir mais a fundo no comportamento do seu público, não esquecendo que cada pessoa tem a sua individualidade.

O importante é enxergar as diferenças entre as gerações para ter noção do impacto da sua comunicação direcionada a cada uma delas. Cada indivíduo conta e a geração é um dos primeiros estudos que as marcas devem levar em conta para se comunicar.

Independentemente de qualquer coisa, os millennials sempre serão um termômetro social para dizer o que vem por aí. Mesmo que seu público seja fortemente da geração X, sempre vale ficar de olho nos mais jovens, assim como nas últimas tendências.

Acesse a pesquisa completa pelo link publiabril.abril.com.br/xdaquestao.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados