Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

5 maus hábitos que podem comprometer a visão no verão

5 maus hábitos que podem comprometer a visão no verão
16:00 pm ,26 de novembro de 2018

De agora até o final de março, dias de sol prometem fazer a alegria de quem pode aproveitar o período para descansar, tirar férias e se divertir. Quem faz parte desse grupo pode acordar, comer e dormir quando bem quiser. Mas é preciso estar atento aos hábitos que podem arruinar a saúde, principalmente a visão. A seguir, o médico oftalmologista Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, aponta cinco erros mais comuns que podem pôr os olhos em risco:

1. Levar as crianças para brincar em tanques de areia. “Tanques de areia não tratada representam sempre um risco a mais para crianças, já que muitas costumam levar a mão aos olhos automaticamente enquanto brincam. Por isso, pais ou responsáveis devem procurar oferecer um tipo de distração mais seguro e ainda redobrar a higienização das mãos dos pequenos. Normalmente, esses tanques de areia estão contaminados por fezes ou urina de animais, podendo causar infecções oculares e outras várias doenças”.

2. Nadar em piscinas públicas ou em locais com água não-tratada. “A água do mar ou ainda de piscinas de hotéis e clubes bastante frequentados no verão representa um grande risco para a visão. Trata-se de um jeito fácil de contrair conjuntivite, por exemplo – doença que deixa os olhos bastante avermelhados e as pálpebras chegam a grudar durante a noite, dificultando abrir os olhos pela manhã. Vale ressaltar que piscinas com cloro em excesso também comprometem a saúde ocular. Por isso, é fundamental escolher bem o lugar em que se vai mergulhar”.

3. Dormir com lentes de contato. “Por mais cansada que a pessoa esteja depois de um dia intenso, é preciso tirar as lentes de contato e garantir um mínimo de asseio antes de ir para a cama. Isto porque, durante o sono, o nível de lubrificação dos olhos diminui bastante e as lentes podem ressecar junto com o globo ocular – desencadeando uma série de problemas. Além de usar os produtos de limpeza recomendados pelo fabricante das lentes, é fundamental checar se não há resíduos sólidos ou irregularidades nas lentes. Mesmo sujeiras quase imperceptíveis podem resultar no desenvolvimento de fungos, levando à inutilização do produto e podendo desencadear infecções”.

4. Negligenciar o uso de óculos de sol. “A exposição aos altos índices de raios ultravioleta provoca degeneração macular – doença que afeta a parte central da retina, membrana posterior dos olhos onde as imagens são transmitidas para o nervo óptico. Como não existe tratamento eficaz para alterações retinianas, a prevenção ainda é o melhor remédio. Daí a importância de investir em óculos de sol de boa procedência, com proteção UVA e UVB nas lentes, e jamais cair na tentação de comprar modelos de origem duvidosa – já que a irregularidade das lentes pode causar desconforto visual, dor de cabeça e astigmatismo”.

5. Compartilhar objetos de uso pessoal em viagens. “As viagens aproximam pessoas e muita gente acaba compartilhando objetos de uso pessoal durante o tempo em que estão juntas. No geral, isso já é um erro. Com relação à visão, é ainda pior – principalmente quando se trata de toalhas de rosto e maquiagem. Sempre que alguém usa batom ou rímel, por exemplo, está potencialmente introduzindo germes no produto. Ou seja, quanto mais gente usar aquele item de maquiagem, maiores são as chances de disseminar uma doença. Como as membranas mucosas são mais suscetíveis a contrair uma infecção, a maquiagem para boca e olhos jamais deveria ser compartilhada. Novamente, o risco de contrair conjuntivite é grande, sendo a conjuntivite viral responsável por mais de 90% dos casos.”

Com essas dicas simples, mas importantes, Neves acredita que muitos dos problemas que levam às pessoas ao oftalmologista no verão serão evitados. “De modo geral, vale ainda destacar o quanto lavar bem as mãos várias vezes ao dia pode manter longe muitas doenças – principalmente a conjuntivite. Para se ter uma ideia, as bactérias de uma pessoa contaminada podem durar três dias numa só maçaneta – o que aumenta muito as chances de transmitir conjuntivite para outras pessoas”.

Fonte: Dr. Renato Neves, médico oftalmologista, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos. www.eyecare.com.br

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados