Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

A franquia só vale a pena se a marca for conhecida?

A franquia só vale a pena se a marca for conhecida?
17:00 pm ,20 de dezembro de 2017

Tenha a certeza de que não é bem assim!

Mas pode ficar tranquilo, muitas das franquias consideradas como marcas desconhecidas podem valer muito mais do que outras conhecidas e até mesmo famosas.

As franquias de negócios começam com poucas unidades e são famosas, ou mesmo conhecidas, apenas no seu próprio local ou na área de atuação e influência do negócio.

Foi exatamente isto o que aconteceu com a então desconhecida e pequena lanchonete dos irmãos McDonald’s em San Bernardino, um subúrbio de Los Angeles na Califórnia ou mesmo aqui no Brasil, com a desconhecida Gipsy de Belo Horizonte dos irmãos Birman, que se tornou a Arezzo de hoje.

O trampolim dos famosos para ficar conhecido:
Algumas franquias com modelos de negócio incipientes e baixa estruturação, utilizam-se do referencial de um famoso (geralmente esportistas, artistas e/ou apresentadores de TV) como um trampolim que associa a fama com o suposto sucesso que você terá no negócio, ou mesmo que esta fama servirá como uma muleta para o negócio andar sozinho e, com muito sucesso.

Caia fora! Franquias e em geral negócios não funcionam com o uso de muletas!

Formatei a franquia!

Ah! Lembro aqui: caia fora daquelas franquias que anunciam terem “formatados”… . É muito comum você encontrar: “acabo de formatar a franquia” (isto quer dizer copiei e colei a Circular de Oferta e os Contratos e, estou associado). Quem deve ter um formato testado e padronizado é o negócio, seu conceito e posicionamento e, nunca a franquia.

E novamente voltando aos irmãos McDonald’s que, exaustivamente derem um formato operacional ao negócio, levando a linha de montagem (Ford) para uma pequena lanchonete.

Mas como identificar a desconhecida de hoje que será famosa amanhã?

Não é difícil, basta utilizar seus dois olhos simultaneamente, sendo um deles para buscar uma franquia que tenha conceito (“o melhor hambúrguer do mundo”) e posicionamento associado (“com o melhor atendimento do mundo”) a capacidade do franqueador em manter o modelo de negócio no mesmo padrão (conceito e posicionamento) operando em diferentes locais e com diferentes franqueados.

Nos bons tempos (hoje infelizmente estão perdidos) Ray Kroc do McDonald’s tinha um conceito e um claro posicionamento: “a melhor refeição do mundo em até um minuto”. Os irmãos McDonald’s andavam pela loja com um cronometro e a ideia é que o produto esperasse por você e não ao contrário (fast food).

Seu outro olho deve focar em você (peça ajuda de um espelho) e busque dedicação e total identificação associado a uma enorme vontade de manter a qualquer custo o posicionamento do negócio.

Se o seu olhar perguntar “o que eu mudaria?”, caia fora! Mas se exclamar “eu quero muito e estarei totalmente envolvido por pelo menos uns dez anos”, é este!

Ray Kroc (McDonald’s), depois do insucesso com os primeiros franqueados “amigos e investidores”, foi buscar seu exemplo de franqueado com o perfil ideal para o negócio: um insistente judeu que tentava vender bíblias para sua secretária.

Como saber se vale a pena

Aplique a fórmula:

Valor da franquia para você = Sua Percepção do Modelo de Negócio x Sua Dedicação e Envolvimento x Suporte Oferecido Pelo Franqueador

Isto tudo quer dizer que a franquia que você escolheu que não é famosa nacionalmente, será por suas mãos um grande negócio que valerá muito quando conseguir aliar um bom conceito multiplicado pelo seu envolvimento no negócio e ainda, multiplicado pelo suporte (conhecimento) oferecido ao franqueado.

Fonte: Marcus Rizzo.

Jorge Ishida
Executivo em Franchising
jorge.ishida@hotmail.com

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados