Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Scroll to top

Top

Cafés do Brasil exportam 34 milhões de sacas

Cafés do Brasil exportam 34 milhões de sacas
11:00 am ,20 de outubro de 2016

O Relatório mensal setembro 2016, do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – CeCafé, demonstra que o total de sacas de 60kg dos Cafés do Brasil exportadas de janeiro a setembro de 2016 atingiu o volume de 23,771 milhões com receita cambial de US$ 3,591 bilhões. E, nos últimos 12 meses (outubro/2015 a setembro/2016), as exportações de café totalizaram 34,050 milhões de sacas e receita cambial de US$ 5,140 bilhões a um preço médio de US$ 150,98 por saca.

O ranking dos sete principais destinos dos Cafés do Brasil por continente e em ordem decrescente, foram: Europa, com 12,684 milhões de sacas de 60 kg, que equivalem a 53% do total exportado; América do Norte – 5,434 milhões de sacas (23%); Ásia – 4,065 milhões (17%); América do Sul – 926,213 mil (4%); África – 269,267 mil (1%); Oceania – 212,290 mil (1%); e América Central – 179,614 mil (1%), do total de 23,772 milhões de sacas exportadas no período de janeiro a setembro de 2016.

Em 2015, de acordo com o Relatório mensal setembro 2016, no item Perfil do Consumo Mundial de Café, os países importadores consumiram 104,572 milhões de sacas de 60kg e os exportadores 47,633 milhões, de um total de 152,204 milhões, números que representam em média uma taxa global de crescimento anual de 2% no período de 2012 a 2015.

O ranking do consumo em nível mundial em 2015 dos seis blocos econômicos destacados no Relatório pelo CeCafé é o seguinte: Europa, em primeiro, consumiu 50,116 milhões de sacas de 60kg, o que representa uma taxa média anual de crescimento de 0,4%; Ásia & Oceania, em segundo, com 33,131 milhões de sacas e 5,2% de taxa de crescimento média anual; América do Norte – 27,975 milhões (2,8%); América do Sul – 25,120 milhões (0,4%); África – 10,621 milhões (2,6%); e América Central & México com 5,242 milhões de sacas e taxa de crescimento anual de 0,6% em média. Nesse caso, vale realçar tanto o volume expressivo de café consumido como a taxa média de crescimento da Ásia & Oceania verificada nos últimos anos.

Quanto às exportações dos cafés diferenciados – os quais têm qualidade superior ou algum tipo de certificado de práticas sustentáveis -, vale destacar que, em setembro de 2016, atingiram um volume de 359.250 sacas. E também que no acumulado de janeiro a setembro de 2016 esses cafés representaram 18.6% das exportações, com um total de 4.430.844 sacas a um preço médio de US$ 189,95, aproximadamente 25% superior à média total do café exportado. Além disso, nesse mesmo período, os 10 maiores países importadores dos cafés diferenciados representaram m 81,3% dos embarques. Os EUA continuam sendo o maior importador desse tipo de café, com 21% (910.037 sacas). Japão, em segundo, com 14% (628.692 sacas), seguido pela Alemanha com 12% (519.434 sacas).

O Relatório mensal do CeCafé está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. O documento divulga dados estatísticos, evolução e análises das exportações dos Cafés do Brasil, por ano safra, ano civil, cafés diferenciados, exportações por continentes, grupo e blocos econômicos, perfil do consumo mundial, entre outros. Além de também divulgar mensalmente uma análise da conjuntura da cafeicultura, como é o caso do artigo postado nesta edição de setembro de 2016 sobre “Cafeicultura Sustentável – Novo Código Florestal: Café Brasileiro no Caminho Certo”, que vale a pena ser lido.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanhaTodos os direitos reservados