Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Celebridades viram ídolos do rock em prol da Apae

10:33 am ,1 de abril de 2013

O amor pela fotografia, pela música e a vontade de ajudar deram forma ao projeto ‘We Love Rock And Roll’, que vai beneficiar as 100 pessoas que frequentam a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) da cidade de Brazópolis (MG). Sensibilizado pelas condições da instituição na cidade em que vivem seus pais, o fotógrafo e ator Paulo Emílio Lisboa transformou brasileiros famosos em ídolos do rock, que podem ser vistos em uma exposição que acontece no BFC Cultural, na Avenida Paulista, em São Paulo (SP).

O ator Dalton Vigh – o primeiro a abraçar o projeto – aparece como Jimi Hendrix, Jim Morrison, Jonh Lennon e ainda em uma reprodução da capa do ‘The Clash’. A jogadora de vôlei, Virna aparece apenas com uma ‘atitude rock ´n roll’. Já a atriz Bárbara Paz encarna Courtney Love. Daniel de Oliveira personifica Raul Seixas.

“Eu estou participando do projeto que é para a Apae. Para ajudar estas crianças pra lá de especiais e espero que as pessoas também ajudem”, disse Carlos Casagrande no vídeo de apresentação da ação.

Outras personalidades como Marina Person, Fábio Azevedo, Danilo Gentili e Carlos Lamarca também toparam fazer parte da campanha.

“Reunimos um exército do bem para arrecadar o que for possível para esta instituição maravilhosa que é a Apae de Brazópolis”, disse o idealizador da campanha, que pretende doar toda a renda das exposições e do leilão das fotografias para a instituição. “Meus pais são de Brazópolis e sempre que podiam, ajudavam a instituição. Eu não tenho muito contato com a cidade, mas quando escuto que temos crianças com síndrome de Down, hidrocefalia e outras deficiências e estão sem lugar para se tratar, é preciso fazer alguma coisa. Eu estava com isso na cabeça quando, durante uma sessão de fotos com o Dalton Vigh, que surgiu meio que na brincadeira, sugeri: – Vamos fazer alguma coisa com estas fotos? E ele respondeu de pronto: – Bora ! Aí nasceu e cresceu toda esta iniciativa”, relembrou Lisboa.

A unidade de Brazópolis funciona em condições precárias em uma sede com a arquitetura comprometida e sem recursos financeiros para reforma ou para se estabelecer em outro imóvel.

“Nós enfrentamos muitas dificuldades financeiras, falta estrutura, mas não perdemos em nada para o atendimento das pessoas da cidade que precisam da Apae. Temos apenas sete anos, mas já crescemos bastante e todo atendimento multidisciplinar é focado no desenvolvimento pessoal  e na autonomia dos nossos alunos”, pontuou a presidente da entidade, Elizabeth Brandão dos Reis.

Ainda de acordo com ela, a maior necessidade da instituição, atualmente, é um veículo grande, com pelo menos 15 lugares, para buscar estudantes que não tem como se locomover e moram longe. “Temos algumas pessoas que precisam de atendimento e que quando vieram aqui, apresentaram uma melhora significativa, mas os familiares não podem trazê-los diariamente, por isso um carro seria essencial”, completou a presidente.

Para divulgar o ‘We Love Rock And Roll’, o fotógrafo produziu um vídeo na entidade, onde conversou com o aluno Mateus Marcos Dias, 17 anos, que frequenta a entidade e mostra que quem tem síndrome de down também tem vocação para a música. Ele se tornou um dos representantes do projeto. “O que eu mais gosto de fazer é almoçar e tocar violão, mas quero aprender guitarra”, disse em depoimento a Lisboa durante a gravação do vídeo.

Com um violão de apenas três cordas, que ganhou do padre da cidade, Mateus adora rock, músicas de missa e sertanejo e não perde a oportunidade de exibir os talentos. “Eu toquei em uma festa na roça, da minha escola”, comentou o estudante, mantém sempre o bom humor, mesmo com todas as dificuldades encontradas na Apae. “Fiz sucesso lá”, brincou quando questionado se muitas garotas o assediaram: “algumas, né”, justificou.

Os cliques de Lisboa renderam 42 quadros feitos em metacrilato, que serão leiloados e todo valor arrecadado irá para a Apae. Além disso, o ingresso de R$ 1 cobrado para a visitação da exposição também serão destinados à entidade. A exposição trará também atrações como pocket shows de rock.

Fonte: G1 Sul de Minas

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados