Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Scroll to top

Top

Cresce influência do smartphone nas compras pela internet

Cresce influência do smartphone nas compras pela internet
15:00 pm ,20 de abril de 2016

O crescimento de usuários de smartphones também gerou uma nova onda de influência nas compras no comércio eletrônico. De acordo com levantamentos de mercado, o número de pessoas que utilizam o dispositivo móvel para pesquisar e efetuar comprar vem crescendo e já representa parte significante do faturamento do setor.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) cerca de 30% das compras em lojas virtuais em 2016 serão feitas por meio de dispositivos móveis (smartphones e tablets). A parcela representa 57,2 milhões de compras, dentro de um mercado que deve movimentar R$ 56,8 bilhões até o fim do ano, segundo a entidade.

Essa tendência também é apontada por outro levantamento, realizado pela empresa especializada em gestão de comércio eletrônico Betalabs. De acordo com a pesquisa, 33% dos consumidores que acessam as lojas virtuais o fazem por meio de smartphones. O uso de tablets, por sua vez, registra 4% dos usuários. O levantamento foi feito utilizando como base cerca de 300 lojas virtuais gerenciadas pela empresa especializada.

De acordo com Luan Gabellini, sócio-fundador da Betalabs, esse movimento se deve a fatores como a popularização dos smartphones e também a avanços culturais. “Houve, de forma geral, uma redução de custo dos aparelhos e a criação de planos econômicos por parte das operadoras de telecomunicações que aumentaram de forma expressiva a quantidade de usuários”, avalia. “Aliado a esse fator econômico, temos uma mudança cultural das pessoas, que passaram cada vez mais a utilizar os telefones como substitutos do computador.”

Esse movimento foi justamente apurado em uma recente pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com os dados do Suplemento de Tecnologias de Informação e Comunicação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, divulgado em abril, para 80,4% da população, o smartphone é o equipamento favorito na hora de navegar.

Especialistas afirmam que esse comportamento do consumidor ao utilizar o smartphone para efetuar compras online força as lojas virtuais a se adequarem.

“Para as empresas que buscam desempenho, como gerar leads e vendas, o investimento em dispositivos móveis cresce acompanhando a evolução do comportamento mobile dos consumidores”, avalia Thiago Bacchin, CEO da Cadastra, agência digital especializada em performance, que trabalha com varejistas como Renner, Livraria Cultura, Lojas Colombo, Camicado, Corello, Le Postiche, entre outras.

‘Responsivo’

Por mais que cada vez mais consumidores acessem lojas virtuais pelo smartphone, poucos e-commerces estão adaptados a responderem de forma adequada no dispositivo. É isso que também aponta uma pesquisa divulgada pelo PayPal, em parceria com a BigData Corp., empresa especializada em captação de grande quantidade de informações. De acordo com o levantamento, o número de websites de comércio eletrônico no Brasil cresceu 21,5% últimos 12 meses encerrados em fevereiro. Porém, somente 16% do total apurado são responsivos aos dispositivos móveis.

“Esse ainda é um número pequeno e mostra que o investimento em mobile não acompanhou o crescimento do comércio eletrônico”, afirma Thoran Rodrigues, CEO da BigData Corp. “Esse dado precisa aumentar, já que os resultados em buscas do Google, por exemplo, dão prioridade às páginas que se adequam a um dispositivo móvel e as compras são cada vez mais feitas por smartphones”, complementa o especialista.

Para Bacchin, da Cadastra, é necessário não só um incremento em sites responsivos e apps para esses dispositivos, mas também em mídia. Gabellini, da Betalabs, por sua vez afirma que o lojista virtual deve se ater ao bom funcionamento no smartphone. “É necessário afinar a tecnologia para oferecer um formato que se adapte a todos os tamanhos de tela com uma preocupação extra na leveza e velocidade para atender também clientes com conexões mais lentas”, afirma.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanhaTodos os direitos reservados