Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Ela chegou lá

Ela chegou lá
11:37 am ,7 de abril de 2015

Obstinada, Wilsa Figueiredo trilhou uma trajetória marcada pela superação

09/03/2015

Desde que decidiu ingressar no Banco do Brasil para poder financiar a graduação em matemática, há três décadas, Wilsa Figueiredo tem aproveitado as oportunidades para crescer e avançar. “Eu sou muito grata ao Banco por oferecer as seleções internas, pois foi como cheguei onde estou”, diz a gerente geral de Unidade Private Bank, em São Paulo (SP).

Natural de Varginha (MG), Wilsa iniciou seu trabalho em um setor de compensação que havia na cidade. Após dois meses, ela decidiu prestar uma seleção interna. “Eu sempre gostei muito de estudar, de aprender, então, via como a oportunidade ideal de ir além.”

Na primeira seleção interna da qual participou, Wilsa recorda que tinha acabado de ter seu filho. “Lembro de estar amamentando e ao mesmo tempo estudando para as provas. Eu tinha muita confiança de que ia passar.” E assim aconteceu. Se tornou gerente e tinha uma equipe de oito pessoas. Depois, nova conquista: passou a ser assessora em uma superintendência criada em sua cidade, mas isso durou pouco. Após um ano, a superintendência foi fechada e ela foi atuar como caixa em uma agência.

Executiva 02Executiva 03Essa reviravolta a fez repensar a própria formação. Decidiu focar em uma nova graduação e passou a cursar engenharia química. Foram cinco anos e meio até se formar, concluir a pós e se preparar para o mestrado. “Já estava tudo encaminhado quando meu gerente pediu para eu não seguir com essa ideia, e disse que me colocaria em outra função. Eu falei que já tinha feito uma carreira no Banco e que não tinha dado certo. Mas ele insistiu muito e eu aceitei a nova oportunidade”, explica. Wilsa lidava com visitas a clientes quando prestou outra seleção interna focada em novos gestores. Além da prova técnica, tinha uma entrevista. “Na técnica fui muito bem, mas na entrevista, onde acontecem as dinâmicas, fiquei muito nervosa e não passei”, revela.

Até que seu gerente a mandou para São Paulo para fazer um curso de gestão de negócios. “Aproveitei para conversar com psicólogos que ministravam o curso, e recebi diversas indicações de quais livros ler e como me preparar.” Ela apostou suas fichas mais uma vez em uma nova seleção interna e passou. “Fui trabalhar com grandes clientes em Belo Horizonte (MG). Nessa época, estava divorciada e contei com minha mãe para me ajudar com meu filho.”

Fênix

Ela lembra do primeiro dia de trabalho. Na avenida em frente à grande empresa que teria de visitar sofreu um acidente. Uma caminhonete avançou o sinal e bateu no carro onde ela estava. “Por pouco não morri. Tive de ficar em casa um mês antes de recomeçar”, conta. Ao retomar ao trabalho, Wilsa tinha contato com diversos executivos e com pessoas do próprio Banco que a inspiravam. “Eu trabalhava com pessoas muito boas e disse ‘eu quero ser assim’ e sabia que podia me especializar mais.”

A decisão que tomaria a seguir impactaria em uma importante escolha: comprar um apartamento ou financiar um MBA nos Estados Unidos. Ela seguiu com a segunda opção. Durante a realização do curso, em 2001, aconteceram os ataques terroristas às Torres Gêmeas, que chocaram o mundo, mas ela não se intimidou. “Duas colegas, também latinas, abandonaram o curso. Mas eu não iria desistir de jeito nenhum. Fiquei conhecida pelo meu professor como uma pessoa obstinada”, orgulha-se.

Olho 2

Após uma temporada como gerente de divisão, em Brasília (DF), quando passou pelo Private, Wilsa prestou nova seleção. Na técnica, ela conta que “arrasou”, mas, novamente, não passou pela entrevista. “Aquilo foi devastador para mim”. Mesmo assim, seguiu em frente e encarou uma nova oportunidade, agora em São Paulo. “Eu tinha uma amiga que me chamava de fênix, a ave que renasce das cinzas, pois mesmo após tudo aquilo eu pensei ‘já que estou na maior cidade do País, posso aprender onde os executivos aprendem’”. Ela investiu em um processo de coaching. “Foi trabalhoso. Participava de dinâmicas que eram verdadeiras sabatinas, mas aprendi que se você decide conquistar uma coisa e se dedica com obstinação a isso você consegue.”

Nessa época foi lançado outro processo de seleção para executivos e, mais preparada, decidiu concorrer. Era para o cargo que ocupa atualmente. A aflição de Wilsa passou, então, a ser o momento em que checava a lista de aprovados. “Por isso, coloquei o nome do meu filho de André, a primeira letra do alfabeto, porque foi uma grande agonia esperar chegar no W para ver que eu tinha conseguido”, conta. E, dessa vez, com um gosto ainda mais especial. “Eu venci a mim mesma. Trabalhei minha ansiedade e controlei meu emocional.”

Ao buscar um cargo superior, Wilsa sabia que tinha que entregar muito bem as metas propostas e ao mesmo tempo estar sempre antenada no que acontecia dentro e fora do Banco. “Conquistar um perfil executivo e conciliá-lo com a família toma bastante tempo, mas é possível. Fiquei para trás diversas vezes, sempre competindo com muitos homens, mas sabia que a minha hora ia chegar”, revela.

Para as mulheres

Hoje, Wilsa tem uma extensa lista de formação, uma trajetória de conquistas dentro do Banco e dá alguns conselhos, principalmente às mulheres que, assim como ela, também querem alçar voos mais altos. “É importante não desistir nunca de seus ideais. Use a força da mulher, pois ao exercer vários papeis – de mãe, irmã, esposa, filha, amiga, funcionária – você vai descobrir a liderança feminina que agrega, harmoniza, sustenta, inspira e que realiza, e muito. Foque no seu objetivo e prepare-se, estude, observe os bons exemplos, seja um exemplo vivo levando luz e ânimo nos ambientes em que passar. Procure sempre despertar o interesse das pessoas pelo trabalho, pela vida, pelo belo, pelo bom. E, acima de tudo, acredite, confie e agradeça todos os dias.”

ESCOLHAS DA EXECUTIVA

Livros

“O homem a procura de si mesmo”, de Rollo May

“O ponto de mutação”, de Fritjof Capra

“Good to Great”, de Jim Collins

“Mindset: The New Psychology of Success”, de Carol Dweck

Sites

Strategy + Business (http://www.strategy-business.com/) “Um site do qual sempre recebo material. Vem muito artigo atual sobre negócios.”

TED (www.ted.com) “Tem muitos vídeos interessantes, além de business.”

Endeavor (www.endeavor.org) “Sempre tem indicação de bons livros.”

Cursos

“Os cursos oferecidos pela Universidade Corporativa do Banco do Brasil são excelentes. O Banco dá as condições para quem quer se especializar.”

Fonte: bbvc

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados