Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Erros mais comuns na Declaração Anual do Microempreendedor Individual

Erros mais comuns na Declaração Anual do Microempreendedor Individual
17:33 pm ,7 de maio de 2019

Mais de 7,7 milhões de Microempreendedores Individuais (MEI) terão que enviar a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-MEI) até 31 de maio. Em Minas Gerais são mais de 900 mil que irão declarar o faturamento para a Receita Federal. Para orientar os empreendedores que ainda não enviaram a DASN, o Sebrae Minas fará um mutirão de capacitação durante a Semana do MEI, de 20 a 24 de maio. As orientações gratuitas acontecem nos pontos de atendimentos do Sebrae Minas em todo o estado. Os atendimentos são feitos por ordem de chegada. Para saber mais sobre o Sebrae mais próximo da sua casa ou do seu negócio acesse: www.sebrae.com.br/minasgerais .

Os seis principais erros que os empreendedores cometem ao preencherem a DASN:

·Informar valores menores que o real: na DASN, o MEI deve informar os valores do que foi vendido ou prestado serviço com e sem a emissão de notas fiscais. Lembre-se que além da nota fiscal, a Receita Federal tem até cinco anos para cruzar os dados dos valores recebidos no cartão de crédito e movimentação bancária do CNPJ, identificando as divergências. A sonegação pode custar caro, já que o MEI pode ser desenquadrado de forma retroativa ao ano em que houve a sonegação, sofrer processo e multa.

·Erro de digitação: os formalizados devem estar atentos ao preenchimento dos valores. Não é necessário colocar vírgula nem ponto final para separar os centavos, o sistema fará isso automaticamente. O ideal é que o MEI sempre confira o que digitou antes de avançar para a próxima etapa da declaração.

·Falta de controle das vendas: muitos MEI se esquecem de fazer o acompanhamento mensal das vendas e lançar os valores na DASN. Isso é um grande problema, pois a falta de controle faz com que o formalizado não perceba que tenha extrapolado o limite de faturamento anual de R$ 81 mil por ano. É importante, acompanhar os valores das vendas, pois com o aumento do faturamento, o empreendedor deve se antecipar e migrar para o regime tributário de microempresa (que faturam até R$ 360 mil por ano) ou de pequena empresa (que fatura de R$ 360 até R$ 4,8 milhões por ano) para não sofrer penalidades como multas e até a exclusão do Simples Nacional.

·Deixar de enviar a declaração porque não vendeu durante o ano: mesmo que o MEI não tenha exercido a atividade ou não tenha faturado, é necessário fazer a declaração até o dia 31 de maio. O envio da DASN, assim como o pagamento mensal do Documento de Arrecadação Mensal (DAS) são obrigatórios independente do faturamento do empreendedor. Se o MEI não exerce a atividade, é necessário que ele solicite a baixa do CNPJ.

·Entregar fora do prazo: todos os Microempreendedores Individuais devem enviar a declaração de faturamento até o dia 31 de maio. Neste ano, mesmo os MEI formalizados no dia 31 de dezembro do ano passado têm essa obrigação. Os MEI que não enviarem a DASN dentro do prazo receberão multa de no mínimo R$ 50,00 e ainda ficarão impedidos de emitir as DAS do ano vigente, o que irá impactar em mais multas e juros, além da perda dos benefícios previdenciários.

·Situação Especial: alguns MEI acabam enviando a DASN marcando equivocadamente a opção “Situação Especial”. Este item só deve ser marcado pelo MEI que encerra suas atividades formalmente no Portal do Empreendedor, ou seja, os CNPJ já baixados. Caso o MEI não se encaixe neste perfil, e mesmo assim tenha marcado essa opção, ele terá que enviar outra declaração retificando os dados informados anteriormente.

Fonte: Laurana Viana, analista do Sebrae Minas

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados