Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

MPE mineiras continuam contratando mais que demitindo

MPE mineiras continuam contratando mais que demitindo
16:00 pm ,5 de maio de 2017

Apesar da queda do saldo de empregos gerados pelas Micro e Pequenas Empresas (MPE), no mês de março, Minas Gerais contratou mais do que demitiu, gerando saldo positivo e o segundo melhor resultado do país. É o que mostra o levantamento do Sebrae com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Mesmo registrando um saldo inferior ao de fevereiro, que chegou a 8.231 vagas, as MPE mineiras geraram 93.625 contrações contra 92.601 demissões, o que resultou um saldo positivo de 1.024 vagas. O resultado de março em Minas Gerais só não foi maior que o do Rio Grande de Sul (2.686) e o de Goiás (1.095).

De acordo com os dados do Caged, o resultado positivo em Minas Gerais foi influenciado diretamente pelos setores de Agropecuária e Serviços, com saldos de 2.077 e 1.602 vagas, respectivamente. A Construção Civil e a Indústria Extrativista Mineral tiveram saldos modestos de 31 e 53 postos de trabalho, respectivamente.

“As atividades da Agropecuária que tiveram melhores resultados foram: o cultivo do alho, cana de açúcar, horticultura e outras lavouras temporárias. Entretanto, a criação de bovino e frango tiveram os maiores cortes no número de empregados”, destaca o analista da Unidade de Inteligência Empresarial do Sebrae Minas, Breno Fernandes.

No setor de Serviços, o transporte rodoviário de carga foi o que mais gerou empregos, em março. Também tiveram bom desempenho as atividades voltadas para educação, como creche, pré-escola, ensino fundamental e médio, além do transporte escolar.

Por outro lado, o mês não foi não bom para o Comércio. O setor ficou no vermelho, com 35.257 admissões e 37.812 demissões, ocasionando um saldo de -2.555 empregos. Outro segmento que ficou no negativo foi o da Indústria da Transformação, com o saldo de -184 vagas.

“Analisando os resultados dos três primeiros meses do ano, não se pode fazer uma previsão do comportamento das empresas frente a contratação e demissão de funcionários. A expectativa do mercado é que haja uma recuperação a partir do segundo semestre”, justifica o analista do Sebrae Minas.

Em relação às regionais do estado, a Triângulo e Alto Paranaíba foi a que teve o melhor desempenho, com 2.230 vagas, dessas, 2.044 foram geradas pelo o setor Agropecuário. O pior resultado foi na Regional Centro, com -1.220 vagas, afetada principalmente pelo Comércio, no qual houve uma redução de 1.208 postos de trabalho.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados