Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Scroll to top

Top

Pelas ruas de Berlim – Parte 2

Pelas ruas de Berlim – Parte 2
16:00 pm ,8 de março de 2016

por Aline Viana

Na semana passada começamos a ver algumas atrações que é possível conhecer caminhando pelas ruas de Berlim. Hoje damos continuidade ao post anterior. Além dos pontos turísticos já mencionados aqui no Perfil, também é uma atração de destaque o Parlamento alemão, que, infelizmente, eu não pude conhecer por dentro (tínhamos nos esquecido de fazer o agendamento da visita à cúpula pela Internet com antecedência; quando fomos fazer, já estava esgotado; de sorte que não foi dessa vez que eu visitei o Parlamento Alemão).

Não muito longe do Parlamento fica o Sony Center: trata-se da sede da Sony, e é um dos edifícios mais impressionantes da Europa. Ele fica junto a um complexo de outros prédios, e no espaço central entre eles há uma praça circular, com uma tenda colorida: é a Potsdamer Platz. Ali perto do Sony Center tem um pedaço todo colorido do muro de Berlim.

Nas redondezas do Sony Center e do Parlamento está, ainda, o Memorial aos Judeus Mortos da Europa (também conhecido como Memorial do Holocausto). O Memorial foi construído entre os anos de 2003 e 2004 e inaugurado em maio de 2005, em homenagem às vítimas judias do holocausto. Trata-se de uma área de 19.000 metros quadrados coberta de blocos de concreto, cada um de um tamanho, representando os judeus que foram mortos no holocausto.

Dali se pode caminhar até a parte da cidade em que fica um pedaço não derrubado do muro de Berlim. Eu esperava que o muro fosse ser bem mais alto do que de fato ele era! Quase que eu consigo pular o muro, uai! Hahaha!

De lá se pode seguir a pé para o Checkpoint Charlie, que hoje é o nome de uma região da cidade de Berlim, mas, em sua origem, foi o nome dado pelos Aliados a um posto militar entre a Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental durante a Guerra Fria. Ele foi projetado como um posto militar para a passagem de estrangeiros e de membros das Forças Aliadas da Alemanha Ocidental para a Oriental. Os membros das Forças Aliadas não tinham permissão para usar nenhuma outra passagem designada para estrangeiros. O Checkpoint Charlie se tornou um importante símbolo da Guerra Fria, representando a separação entre leste e oeste, e – para alguns alemães orientais – uma estrada para a liberdade.

Atualmente há um museu ali: é o Museum Haus am Checkpoint Charlie ou Mauermuseum (The Checkpoint Charlie Museum). Fica na Friedrichstraße, nº 43-45. Fundado no ano de 1962, o museu detalha a história do muro de Berlim e os incidentes relacionados a ele. Eu acho que deve ser bastante interessante – estou até com vontade de dar uma estudada mais aprofundada em História novamente –, mas nós não entramos no museu. Nossa estadia em Berlim não foi tão longa, então optamos por um foco mais outside, mesmo.

Aline Viana é advogada e blogueira; divide seu tempo entre atividades jurídicas, viagens, artesanato, culinária… E compartilha suas experiências no seu blog pessoal (Beleza Tem a Ver) e no Instagram (@belezatemaver).

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanhaTodos os direitos reservados