Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Por que o design dos escritórios deve refletir a cultura corporativa?

Por que o design dos escritórios deve refletir a cultura corporativa?
15:00 pm ,11 de agosto de 2017

Pesquisas apontam que 90% do que percebemos sobre o mundo é absorvido visualmente. E as percepções visuais influenciam muito a nossa impressão geral do ambiente. É por isso que o ambiente físico de uma empresa é tão importante.

Ao criar um ambiente de escritório, não existe uma “fórmula única”. Cada empresa é diferente e cada força de trabalho é única. Autenticidade é essencial. O espaço físico deve refletir a cultura da empresa e as necessidades dos colaboradores. E isso pode desempenhar um papel importante no engajamento dos funcionários.

Dois fatores principais abrangem o design do escritório: os valores da marca e a cultura da empresa. É preciso “conhecer a si mesmo” além de “conhecer seus funcionários”. Se possível, os colaboradores devem ser consultados sobre suas preferências. Acima de tudo, o design escolhido deve refletir a imagem da empresa e ajudar a facilitar os objetivos corporativos.

Moda vs. Função
Uma tendência atual do design de escritórios promove planos abertos com amplas vistas, áreas de trabalho colaborativo e alguns espaços fechados. Isso reflete uma cultura corporativa aberta, colaborativa e criativa.

No entanto, este tipo de design pode não funcionar para alguns tipos de organizações. Algumas podem ter uma maior necessidade por privacidade individual – por exemplo, escritórios de advocacia que realizam trabalho altamente confidencial – ou precisam reduzir as distrações se o foco for o trabalho orientado a prazos.

Projetar um espaço de escritórios com base nas necessidades dos usuários e da organização é a melhor maneira de garantir que os funcionários estejam engajados no trabalho e motivados a permanecerem na organização. Duas grandes decisões são fundamentais para o uso do espaço – espaços individuais versus espaços para equipes – e o uso da tecnologia e como melhor incorporá-la para satisfazer as necessidades da empresa. Outros atributos devem ser considerados com cuidado, incluindo iluminação, uso de cores e escolha dos móveis.

Criando um espaço que reflita a cultura
Então, como você cria um ambiente que reflita a cultura da sua empresa?

· Considere a necessidade por espaços individuais vs. equipes – Isto guiará a decisão de fechar partes do espaço para espaços privados ou abrir andares inteiros. Isto também ajudará a responder o debate sobre estação de trabalho versus escritório para determinar as repartições, se necessário, e até a escolha de móveis. Salas de conferência, espaços para colaboração, espaços para café e até espaços para “jogos” também podem ser considerados.

· Aproveite a luz do dia ao máximo e use as cores com cuidado – No passado, o espaço mais disputado em uma empresa era um escritório com janela. Muitos estudos foram feitos demonstrando que as pessoas são mais felizes quando o espaço delas conta com iluminação natural. O acesso à natureza (até plantas no escritório) também ajuda a melhorar o humor das pessoas. A escolha da cor é importante – considere contratar um psicólogo ambiental para ajudar nessas decisões.

· Permita a personalização – Este é um ponto importante para a retenção. Se os funcionários conseguem dar um toque pessoal em sua área de trabalho (fotos, prêmios etc), os estudos demonstram que a satisfação geral – com o emprego, o ambiente e a vida em geral – aumenta. Resumindo, ter um espaço para chamar de seu faz os funcionários se sentirem mais investidos na empresa.

· Garanta que a cultura corporativa esteja refletida por todo o espaço – Acima de tudo, garanta que todas as decisões de design ajudem a reforçar a cultura corporativa. Ao mesmo tempo em que você pode explicar a cultura para um candidato a emprego, o espaço físico precisa contar a mesma história. O espaço deve demonstrar que as necessidades dos funcionários são compreendidas e valorizadas.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados