Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Quase um bilhão de pessoas em todo o mundo tem apneia do sono

Quase um bilhão de pessoas em todo o mundo tem apneia do sono
11:00 am ,22 de maio de 2018

Nesta semana, uma nova análise de dados apresentada pela ResMed (NYSE: RMD, ASX: RMD) na Conferência Internacional de 2018 da ATS, indica que a prevalência da apneia do sono afeta mais de 936 milhões pessoas em todo o mundo; quase 10 vezes mais do que estimativas anteriores.

O estudo “Prevalência Global da Apneia Obstrutiva do Sono (OSA)” foi conduzido por um painel internacional dos principais pesquisadores que buscam fornecer um escopo claro do impacto da condição crônica do distúrbio respiratório do sono. A estimativa anterior de prevalência da OSA (100 milhões) teve origem em um estudo da Organização Mundial da Saúde de 2007 que usou métodos e dados disponíveis na ocasião. Com a análise de melhorias na tecnologia na detecção da OSA e de estatísticas subestimadas de outras áreas do mundo, o último estudo retrata uma população impactada significativamente maior do que a previamente identificada.

“A pesquisa e as conclusões são uma revelação na pesquisa da apneia do sono e representam uma questão importante de saúde pública amplamente subestimada”, disse Adam Benjafield, vice-presidente de Assuntos médicos da ResMed e principal pesquisador do estudo. “O novo estudo demonstra a necessidade de ampliar a conscientização sobre o diagnóstico e o tratamento da OSA em todo o mundo.”

A apneia do sono é uma doença crônica que faz com que pessoas parem de respirar enquanto dormem. Para evitar a asfixia, o cérebro faz o corpo sacudir para respirar, normalmente sem que a pessoa esteja ciente. Esse ciclo pode ser repetido até centenas de vezes por noite, interrompendo os padrões normais de sono. As condições de risco de vida associadasà OSA variam de fadiga diurna crônica a doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, diabetes tipo 2, depressão entre muitas outras. Estudos anteriores sugeriram que a apneia do sono não diagnosticada custa aproximadamente US$ 150 bilhões apenas aos Estados Unidos, como resultado de perda de produtividade, acidentes de veículos a motor e acidentes de trabalho relacionados; um impacto econômico que, provavelmente, é muito maior, devidoàmaior prevalência total.

“Este estudo deve encorajar médicos a falar com seus pacientes sobre como o sono afeta a nossa saúde geral”, disse o diretor médico da ResMed Carlos M. Nunez, M.D. “Além disso, deve fazer com que mais pessoas se perguntem: Eu ou quem dorme comigo tem isto?” Quem tem apneia do sono muitas vezes não percebe que tem a condição e, portanto, não percebe que pode fazer alguma coisa para atenuar a fadiga crônica resultante ou os seus riscos de saúde mais prejudiciais no longo prazo. Além disso, a apneia do sono não é apenas uma doença de homens mais velhos com excesso de peso, como se pensava. Ela afeta pessoas de todas as idades, de todos os grupos étnicos e raciais, de todos os estados de saúde e não é específica de gênero. Na verdade, quase metade dos pacientes recentemente diagnosticados é do sexo feminino.”

Sobre o estudo

Em 2007, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estimou que mais de 100 milhões de pessoas são afetadas pela OSA, embora reconhecesse que os números não se basearam em dados consistentes.

O objetivo do novo estudo “Prevalência global da apneia obstrutiva do sono em adultos: estimativa usando dados disponíveis atualmente” é estimar a prevalência global da OSA em adultos. Pesquisadores identificaram 16 países com artigos sobre prevalência publicados, relacionados a estudos objetivos do sono e as conclusões aplicadas a áreas anteriormente quantificadas de forma insuficiente. Depois da análise de dados, as estimativas foram extrapoladas de acordo com a população mundial de adultos com idades entre 30 e 69 anos. As estatísticas de prevalência foram aplicadas aos números da população em cada país com base no gênero e no índice de massa corporal correspondente (fator de risco importante da OSA). A prevalência da OSA foi estimada com base na gravidade da doença, medida pelo índice de apneia-hipopneia.

Reunidos pela ResMed, os especialistas incluíam representantes da América do Norte e do Sul, Europa e Ásia-Pacífico.

Sobre a ResMed

A ResMed (NYSE: RMD, ASX: RMD), empresa líder mundial em saúde conectada com mais de cinco milhões de dispositivos conectados em nuvem para monitoramento remoto diário de pacientes, transforma vidas em todos os momentos. Seus premiados dispositivos e soluções de software ajudam a tratar e administrar a apneia de sono, a doença pulmonar obstrutiva crônica e outras doenças respiratórias. Com mais de seis mil integrantes, sua equipe se dedica a melhorar a qualidade de vida de pacientes, reduzir o impacto de doenças crônicas e economizar custos de saúde em mais de 120 países. ResMed.com

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados