Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Resoluções de Ano Novo, de novo? Faça diferente em 2016!

Resoluções de Ano Novo, de novo? Faça diferente em 2016!
14:00 pm ,29 de dezembro de 2015

Mais uma vez final de ano chegando, desta vez um ano com velhos e novos desafios. E, tradicionalmente, este período pede a criação das famosas resoluções de Ano Novo, assim como fizemos em 2015. Mas quanto tempo dura nosso engajamento para realizar as metas? Quantos realmente realizamos a cada ano? Quais as transformações que foram geradas?

“Muitas de nossas dificuldades estão definidas pelas metas e os meios que usamos para alcançá-las. Porém, o que poucos reparam é como criamos essas metas”, explica o master coach Diego Aieta, um dos organizadores do Metaforum Internacional – Campus de Verão 2016, que será realizado em fevereiro, em São Pedro-SP (a 180 km da capital paulista).

De acordo com o especialista, a tendência é criarmos metas não tão boas quando estamos estressados, cansados ou deprimidos. “Geralmente são objetivos simples ou vagos demais, como dietas, exercícios, viagens, dinheiro, coisas materiais que, definitivamente, não vão mudar a nossa vida. Muitas vezes estão até desconectados com nossa realidade, possibilidades e potencial.”

Grande parte de um bom processo de transformação pessoal é atingir um novo estado de ser, de pensar, de sentir, de imaginar, através do qual vamos criar um novo olhar para nossas metas e criar objetivos realmente energizados, desafiadores e ao mesmo tempo realistas. “Isto cria um estado de ser dinâmico, e o objetivo de nossas metas passa de fora para dentro. Colocamo-nos como o próprio alvo de nossas mudanças”, ressalta Aieta.

Como promover as mudanças?
“Classicamente existem várias opções, como fazer uma viagem mística, conhecer um guru, entrar em terapia ou começar a praticar algum esporte radical. É possível também fazer um processo de Coaching ou até estudar a metodologia como forma de aplicar e/ou aprender as últimas tendências e práticas em desenvolvimento humano.”

As transformações são possíveis, inclusive, na vida profissional. Foi-se o tempo em que as pessoas nasciam e morriam com a mesma carreira. Hoje, muitos sentem necessidade de experimentar novas profissões, de buscar sempre mais. “Muitos já fazem isso intuitivamente e têm talento para isto. Outros, entretanto, têm mais dificuldades em abraçar esse novo eu e experimentam estresse e resistências”, lembra o coach.

Aieta recomenda que, neste final de ano, você pare, pergunte para si e responda: “O que eu preciso para dar o melhor de mim?”. “Acredite: será fantástico quando você tiver a resposta e entrar em ação. Dedique um tempo para desenhar sua evolução de Ano Novo, algo que desperte o seu melhor.”

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados