Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Scroll to top

Top

Tiradentes: Restaurante Tragaluz

Tiradentes: Restaurante Tragaluz
17:00 pm ,7 de junho de 2016

por Aline Viana

Continuando nosso roteiro gastronômico por Tiradentes, o post de hoje é dedicado ao conhecido e estrelado restaurante “Tragaluz”. No dia em que visitei o restaurante com meu então noivo, havíamos feito reserva para jantar no Tragaluz às 21h (nesse restaurante fazer reserva é indispensável. Ele é concorridíssimo!).

A noite no Tragaluz foi muito gostosa!!! Não só pela comida, mas também pelo ambiente aconchegante, charmoso, acolhedor. Logo que se entra se vê uma plaquinha de boas-vindas: “Seja bem vindo a esta casa”. O atendimento também foi nota dez. O Rafa e eu ficamos numa mesa para dois, com luz de velas, num cantinho super romântico, ao lado de uma parede de… pedra? Barro?

O cardápio do restaurante já é um caso à parte: ele é inspirado na literatura de cordel, conta a história de alguns pratos, tem ilustrações (algumas, inclusive, feitas por visitantes), mensagens de famosos (como Arnaldo Antunes e Ziraldo), e é bastante divertido. É possível, inclusive, levar o cardápio pra casa, comprando-o por R$ 15,00.

Para beber nós pedimos um vinho tinto português muito saboroso. Como entrada, pedimos um carpaccio bovino, que vinha acompanhado de parmesão, rúcula e alcaparras. Na hora de pedir o prato principal eu tive muita – muuuuuuuuuuuita – dúvida! Não sabia se pedia a Pintada Tragaluz, que é o prato mais famoso da casa (galinha d’angola servida com um denso molho de vinho tinto e ravióli artesanal recheado de abóbora); ou o risoto de arroz negro com surubim (podia trocar o peixe por salmão); ou o bife ancho (definitivamente, meu ponto fraco).

Como o Rafa resolveu pedir a Pintada, decidi que provaria um pouquinho do prato dele e pediria, então, o bife ancho (ele vinha acompanhado de farofa – nuuuu! Muito boa! –, arroz, vinagrete, alface e um bolinho de batata com queijo). Delícia!!!

Bom, felizes e satisfeitos com a comida, chegou o momento tão esperado por mim: a sobremesa. Não que esse seja necessariamente o prato que eu mais espere de um restaurante, mas, em relação ao Tragaluz, minha expectativa era muito grande. Antes de viajar, tinha lido milhares de elogios a duas sobremesas em especial: a goiabada frita (que já foi notícia até no NY Times!) e o sorvete de queijo com doce de leite queimado. Resolvemos, então, pedir as duas (não uma para cada: os dois comeriam as duas). Gente do céu!!! Que coisa maravilhosa!!!! Refiro-me mais à goiabada frita, porque o sorvete de queijo com doce de leite era muito gostoso, mas qualquer sobremesa fica no chinelo se comparada à goiabada frita do Tragaluz. Eu comeria todas as vezes em que visitasse o restaurante. O sorvete de goiaba é top demais, e a goiabada frita com a casquinha de castanha de caju não fica atrás!!! Depois de tudo isso, dá pra perceber que o saldo da nossa noite foi superpositivo! O Tragaluz correspondeu totalmente às minhas altas expectativas! Recomendo.

Aline Viana é advogada e blogueira; divide seu tempo entre atividades jurídicas, viagens, artesanato, culinária… E compartilha suas experiências no seu blog pessoal (Beleza Tem a Ver) e no instagram (@belezatemaver)

48) Tiradentes - Tragaluz - 07-06 (02)

48) Tiradentes - Tragaluz - 07-06 (03)(1)

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanhaTodos os direitos reservados