Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Varejo da construção prevê alta nas vendas até dezembro

Varejo da construção prevê alta nas vendas até dezembro
15:11 pm ,19 de setembro de 2019

A retomada gradual da economia do país não inibiu a confiança dos empresários do varejo de materiais de construção da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Cerca de 76,8% apostam no crescimento das vendas nos seis últimos meses de 2019. É o que mostra uma pesquisa realizada pela Fecomércio MG, em parceria com o Sindicato do Comércio Varejista de Material de Construção, Tintas, Ferragens e Maquinismos de Belo Horizonte e Região (Sindimaco).

A análise aponta que, no primeiro semestre de 2019, 59,9% das empresas do segmento viram seu faturamento se manter ou aumentar em relação ao segundo semestre de 2018. Desse total, 72,2% disseram que a saúde financeira desses estabelecimentos melhorou ou se manteve estável na primeira metade deste ano. A expectativa sobre a situação financeira das empresas também se mostrou mais otimista. Ao todo, 81,6% dos empresários confiam na melhora ou na manutenção da saúde financeira de seus negócios para o segundo semestre.

Para o presidente do Sindimaco, Julio Gomes Ferreira, o aumento da confiança do consumidor é uma condição fundamental para que o empresário do comércio varejista da construção civil tenha melhores perspectivas. “Mais confiantes, as pessoas tendem a consumir mais. Os meses de julho e agosto já indicaram essa tendência e a nossa expectativa é elevar as vendas até o final do ano.”

O economista-chefe da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, acredita que a taxa básica de juros sob controle e a liberação do saque de recursos do FGTS podem criar um ambiente mais positivo ao setor. “O movimento de queda dos juros na ponta, ainda que lento, torna o crédito mais barato à população. Além disso, o saque do FGTS vai injetar novos recursos na economia, podendo aquecer o comércio varejista de material de construção”, observa.

Descontos e promoções

Tradicionalmente, o segundo semestre é um período mais favorável às vendas, especialmente pelas diversas datas comemorativas que tendem a se converter em excelentes oportunidades de negócios. Como o preço é um dos principais quesitos para o consumidor, o economista-chefe destaca que a formulação de liquidações e promoções são primordiais para melhorar o faturamento da empresa. A análise apontou que 53,3% dos empresários do segmento desse tipo até o final do ano.

Segundo Almeida, a competição acirrada que caracteriza o comércio varejista tem exigido uma postura agressiva para chamar a atenção do cliente. “O fator-chave tem sido a criatividade na ‘conquista do consumidor’, seja por meio do atendimento, do mix de produtos, de novos canais de venda – como a internet – ou de vendas diretas e compras coletivas”, destaca.

Ferreira também acredita que as liquidações e promoções são uma das principais saídas para atrair os consumidores. “Iniciativas como a Semana do Brasil são fundamentais para o comércio varejista. Nós conversamos com representantes de outros segmentos e todos estão animados, pois, ao incentivar a realização de promoções e liquidações, criamos condições para alavancar os negócios.”

O otimismo dos empresários para o segundo semestre deve, ainda, refletir-se em mais empregos ao varejo da construção na RMBH. A análise aponta que 93% pretendem manter ou aumentar o quadro de funcionários até o final de 2019, uma expansão de 13,1 pontos percentuais (p.p) em relação à primeira metade do ano. “Após muitas demissões em 2018, e um primeiro semestre em 2019 sem recuperação dessas vagas, esperamos que o aumento nas vendas permita uma melhora no quadro de contratações das empresas para até o fim do ano”, avalia.

Sobre a pesquisa
A “Análise do Comércio Varejista – Materiais de Construção/ 2º semestre de 2019” foi realizada, em agosto, com 354 empresários de Belo Horizonte, Betim, Confins, Contagem, Lagoa Santa, Nova Lima, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, Sabará, São José da Lapa e Vespasiano. A margem de erro da pesquisa é de 5%, com intervalo de confiança de 95%.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados