Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Scroll to top

Top

Vendas no varejo de material de construção crescem 8%

Vendas no varejo de material de construção crescem 8%
16:02 pm ,8 de abril de 2016

 As vendas no varejo de material de construção cresceram 8% em março, na comparação com fevereiro deste ano. O desempenho, no entanto, ficou 4% abaixo do registrado em março de 2015. Com isso, o setor fechou o primeiro trimestre do ano com 10% de queda sobre o mesmo período do ano passado.

Os dados são do estudo mensal realizado pelo Instituto de Pesquisas da Anamaco, com o apoio da Abrafati, Instituto Crisotila Brasil, Anfacer e Siamfesp. O levantamento ouviu 530 lojistas, das cinco regiões do país, entre os dias 28 a 31 de março. A margem de erro é de 4,3%.

Segundo o estudo, a região Sudeste apresentou a maior variação positiva no mês, de 10%, seguida pelo Sul (6%), Norte e Nordeste (3%). No Centro-Oeste as vendas se mantiveram estáveis em março.

“Esse já era um comportamento esperado pelo nosso setor, afinal as vendas sempre sobem após o feriado do Carnaval. Além disso, a maior parte das categorias pesquisadas no mês tiveram alguma recuperação nas vendas em março. Foi assim com revestimentos cerâmicos, que cresceu 5%, louças sanitárias e telhas de fibrocimento, que cresceram 4% cada, e fechaduras e ferragens, que tiveram desempenho 2% superior. Tintas e metais sanitários ficaram estáveis no período”, explica o presidente da Anamaco, Cláudio Conz.

De acordo com o levantamento, 46% dos entrevistados esperam recuperar parte das vendas já em abril. “Isso demonstra o otimismo do setor com os fatores que tendem a dar impulso às vendas novamente nesta época do ano. Um deles é o fim ‘das águas de março’, pois as chuvas afetam muito a comercialização dos nossos produtos’, especialmente nas Regiões Sul e Sudeste, que detêm mais de 60% do consumo dos materiais de construção no Brasil. Em compensação, há certamente muita coisa para se reparar nos imóveis agora que esse período deve cessar”, completa Conz.

O presidente da Anamaco também analisa o impacto do atual cenário político na economia do setor:

“O encaminhamento da solução política, seja ela qual for a escolhida, também já permite que tenhamos uma melhor noção da economia, basta ver o aumento significativo de entrada de capitais estrangeiros neste primeiro trimestre, que foi muito superior ao ano passado. Essa semana também tivemos o lançamento da terceira etapa do ‘Minha Casa Minha Vida’, que deve dar alento e apresentar resultados a partir do segundo semestre, assim como novas medidas de liberação de crédito que também devem começar a irrigar as vendas no comércio”, declara.

Para Conz, a principal característica de 2016 é que será um ano de retomada, pois muitas obras adiadas em 2015 estão sendo retomadas. “Estamos vendo um movimento muito forte de retomada da manutenção predial, seja porque os imóveis ficaram vazios, seja porque estão à espera de novos inquilinos. Esse movimento reforça a necessidade de reformas e adequações e influencia diretamente o nosso setor”.

Outro ponto positivo mencionado por ele, é que os produtos do setor estão com preços mais acessíveis ao consumidor final, mas por pouco tempo:

“Estamos observando a abertura de novas lojas e de investimentos em melhoria, uma vez que o varejo está encontrando pontos e áreas com preços bem inferiores aos pedidos até 2014. A  indústria do nosso setor fez fortes ajustes em 2015, diminuindo a produção, o que afetará a reposição dos baixos estoques existentes atualmente nas lojas. Já é significativo o aumento nos indicadores de ruptura dos estabelecimentos, no aumento de prazo para entrega e aumentando a entrega parcial de pedidos”, diz.

Para 2016, a Anamaco continua prevendo crescimento de 6% sobre 2015, mas as maiores dificuldades do setor, segundo a entidade, estarão no abastecimento regular e na logística, tanto de recebimento como na entrega as consumidores. “Esses dois ítens vem apresentando forte necessidade de aumento de preços. Para quem já fez esses ajustes, o melhor a fazer é olhar para dentro da empresa e buscar boas oportunidades de melhoria, que são apenas visíveis na crise, como investimento em treinamento e qualificação. Estar atento ao chão da loja e na melhoria da equipe serão duas ações fundamentais para quem quer fazer a diferença em 2016”, finaliza o presidente da Anamaco.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanhaTodos os direitos reservados