Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

A importância do autoconhecimento

A importância do autoconhecimento
17:08 pm ,11 de abril de 2019

O que é autoconhecimento

O autoconhecimento é a capacidade que temos de entender nossa personalidade e o que motiva as emoções que sentimos. Conhecer a si mesmo possibilita prever como reagir a determinadas situações, interpretando os sinais que a mente nos dá, para assim, quebrar padrões de comportamento destrutivos e elaborar novas formas vantajosas de viver a vida.

Importância do autoconhecimento

O autoconhecimento pode aparentar ser uma característica inacessível, e é comum que não saibamos do que se trata, apesar do termo estar se popularizando nos últimos anos, na área da saúde mental. “Como a própria palavra já diz, autoconhecimento é o conhecimento da pessoa em relação a si mesma”, explica a psicóloga Joana DArc Sakai.

Segundo a psicóloga Adriana de Araújo, ter consciência da própria identidade nos faz entender o que motiva as nossas emoções. “Mais do que reconhecer que você está com raiva, é importante saber a intenção desse sentimento. Às vezes, uma sensação pode estar associada a uma experiência passada, ou a algo que estejamos vivendo no presente”, afirma.

Quem conhece a si mesmo também é capaz de respeitar os próprios limites, delimitando o que gosta ou não. Joana Sakai também aponta que o autoconhecimento implica em um maior controle das emoções, o que nos faz lidar com sentimentos negativos, sem que eles nos dominem.

Benefícios do autoconhecimento
Além de ter um melhor convívio consigo mesmo, a pessoa que se conhece também aprimora seus relacionamentos interpessoais. “Ações mais coerentes, articulações fundamentadas e postura crítica consistente são algumas das características que potencializam nossos vínculos sociais. Todas elas são consequências do autoconhecimento”, afirma Joana Sakai.

Estes fatores colaboram para a criação de uma persona segura, autônoma e assertiva, visto que a compreensão da própria essência nos prepara para as adversidades do dia a dia.

O autoconhecimento também altera nossa forma de enxergar a vida: “Quando nos conhecemos, assumimos a responsabilidade por nossas atitudes, sem esquecer de reconhecer o mérito de nossos esforços”, diz a psicóloga Milena Lhano.

A consciência de nossa identidade nos faz sentir merecedores de nossas conquistas. O contrário disso faz com que tenhamos uma visão distorcida da realidade.

Autoconhecimento no tratamento de distúrbios emocionais
Quando sofremos com a ansiedade ou depressão, é comum que queiramos apenas nos livrar dos sintomas. Os distúrbios emocionais nos desanimam, retiram a nossa energia para completar as tarefas mais simples, e de modo geral, nos fazem enxergar o mundo por lentes monocromáticas.

Reduzir sentimentos incapacitantes como a tristeza é uma ação importante, entretanto, Adriana de Araújo esclarece que é necessário analisar o que estamos vivendo no momento, para entender a origem de nossas angústias, e assim, solucionar os problemas.

É nessa hora que o autoconhecimento pode ser útil. A especialista esclarece: “Imagine uma pessoa que está vivenciando sintomas de ansiedade por conta de seu trabalho. Mais do que ‘eliminar’ os sintomas do distúrbio, ela deve questionar-se sobre o que está havendo em sua carreira. Pode ser sobrecarga ou falta de conhecimento”, diz Adriana.

Independente do que for, o ato de fazer perguntas a si mesmo já é um método de autoconhecimento. “É absolutamente muito simplista achar que nossas dificuldades emocionais serão curadas ao ‘arrancarmos’ os sintomas que sentimos”, conclui.

Por onde começo a me conhecer
Segundo Adriana, a psicoterapia é a maneira mais segura de iniciar o processo de autoconhecimento, visto que o aparato técnico de um especialista é capaz de fornecer um suporte emocional adequado para as pessoas. Entretanto, isso não significa que você não pode se descobrir por conta própria.

“Meditação, questionamentos filosóficos e até mesmo conversar sozinho ou com os amigos são formas de se introduzir ao autoconhecimento”, afirma Adriana.

Joana Sakai alerta que quanto mais vasculharmos a nossa essência, maiores serão as chances de nos sentirmos frustrados com quem somos. Portanto, é necessário cautela ao nos questionar. Acolher a si mesmo e entender nossas limitações deve fazer parte do processo.

Fonte: www.minhavida.com.br

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados