Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Bolsa de valores: o que é, como funciona e como investir?

Bolsa de valores: o que é, como funciona e como investir?
16:27 pm ,20 de setembro de 2019

Em 2019, o Brasil atingiu o número histórico de 1 milhão de CPFs cadastrados na Bolsa de Valores. Esse é um marco muito relevante que representa o crescente interesse dos investidores brasileiros pelos investimentos em renda variável.

Mas apesar desse avanço, vale dizer que, de 19.696 pessoas que começaram a operar com Day Trade, uma das modalidades de operações mais famosas da Bolsa, de 2012 até 2017, apenas 7,9% persistiram por mais de 300 pregões. Ou seja, não perduraram nesse tipo de investimento.

Algumas das razões para essa alta taxa de desistência é a falta de conhecimento e de gerenciamento de risco. Afinal, a Bolsa de Valores, como todo investimento de renda variável, apresenta um risco de perda e, se o investidor não tem conhecimento de mercado o suficiente para proteger o capital, há grandes chances de se frustrar operando.

Como investir na Bolsa de Valores, então?

O que é a Bolsa de Valores?

A Bolsa de Valores é o ambiente onde os investidores negociam ações de empresas (dentre outros tipos de ativos). As ações são uma pequena participação de uma empresa e essa negociação pode ser feita através da internet, sendo que o dinheiro dessas operações é transferido automaticamente.

A Bolsa de Valores é interessante tanto para as empresas quanto para os investidores. Para as empresas porque, quando elas emitem as ações, elas estão captando dinheiro.

Para as pessoas porque, quando elas compram essas ações, elas estão se tornando sócias dessas empresas. Isso dá a elas o direito de receber parte do lucro da empresa onde estão investindo ou poderá lucrar também com a valorização dos ativos no mercado.

Como investir na Bolsa de Valores?

É possível investir na Bolsa de Valores pelo Home Broker. O HB é uma ferramenta, geralmente disponibilizada pelas corretoras de investimentos, que é usada para comprar e vender ações e para consultar informações importantes, como cotações e extratos.

Não existe um valor mínimo para investir na Bolsa de Valores. Mas, caso seja um valor muito baixo, pode ser que os seus custos com as operações sejam maiores que os seus ganhos. Afinal, investir na Bolsa de Valores apresenta alguns custos, como a taxa de corretagem.

Portanto, para quem está começando a investir, o ideal é dar os primeiros passos com um montante entre 5 e 10 mil, e a medida que adquirir mais conhecimento e experiência, poderá ir aumentando o volume de recursos.

Quais os custos para operar?

Os principais custos para operar na Bolsa de Valores são:

Taxa de Corretagem: valor cobrado por compra ou venda de ação. A corretagem pode ser fixa (quando o investidor opera por conta própria, não importando o volume de sua negociação), ou variável (quando a compra é realizada por meio de um assessor de investimentos e ela varia de acordo com o valor da sua ordem).
Taxa de custódia: taxa cobrada mensalmente para guardar as suas ações.
Quais os riscos de investir em ações?

Os dois principais riscos envolvidos ao investir em ações são:

1- Risco de Liquidez

O risco de liquidez é quando o investidor compra uma ação que não é muito negociada na Bolsa de Valores. Quando isso acontece, pode haver dificuldades para vender aquela ação depois e, na Bolsa de Valores, o timing dessa compra e venda é muito estratégica.

2- Risco de desvalorização do papel

No mercado de ações, os preços dos ativos variam de acordo com a oferta e demanda de mercado. Dessa forma, o preço das ações, em algum momento, poderá cair abaixo do preço que o investidor comprou e, caso ele decida vendê-las neste momento, poderá ter prejuízo. O risco de desvalorização do papel, portanto, é quando o investidor precisa do dinheiro que foi aplicado na Bolsa de Valores, mas as ações compradas não estão em um bom momento para venda, pois se desvalorizaram.

Por que investir na Bolsa de Valores?

Porque investir na Bolsa de Valores é uma forma de diversificar os investimentos. Além disso, quem sabe escolher boas ações pode conseguir ter um bom retorno, representando inclusive uma renda extra.

Quem não tem confiança para escolher as ações pode buscar por ferramentas para investimentos. Assim, é possível investir com mais autonomia e segurança.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados