Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Como a tecnologia está mudando o mercado de alimentação corporativa?

Como a tecnologia está mudando o mercado de alimentação corporativa?
14:00 pm ,30 de janeiro de 2019

Quais são os impactos dos avanços tecnológicos na alimentação? Uma pesquisa rápida indica, por exemplo, que não faltam aplicativos com dicas de nutrição ou voltados a ajudar quem queira se alimentar de forma mais saudável. De acordo com estudo divulgado em maio de 2018 pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), 80% dos brasileiros diziam se esforçar para ter uma alimentação saudável.

E quando se trata de aplicativos, o Brasil se destaca. O país é o campeão mundial em uso de aplicativo de celular por dia, de acordo com estudo da empresa App Annie, especializada em análises mundiais sobre esse mercado em smartphones. De acordo com o levantamento, o brasileiro usa em média 12 aplicativos a cada 24 horas em seu smartphone.

E se a tecnologia vem mudando o comportamento individual em diversas áreas, na Alimentação Corporativa ela também tem feito a diferença. “Atualmente, o segmento faz uso de soluções tecnológicas para garantir a qualidade dos seus produtos e serviços”, afirma Fabrício De Nadai, empresário do ramo de Alimentação Corporativa e Diretor Geral da De Nadai Alimentação. Inovações em tecnologia têm sido utilizadas para oferecer aos clientes opções mais eficientes e que representem melhores negociações.

Com a adoção de novas tecnologias, a área de Alimentação Corporativa vem conseguindo otimizar significativamente o uso de energia elétrica, gás, além de diminuir o consumo de água e a produção de resíduos orgânicos, o que se reflete em impacto positivo no meio ambiente. Para se ter ideia, segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, os resíduos orgânicos correspondem a mais de 50% do total de resíduos sólidos urbanos gerados no Brasil.

Para entender a dimensão do segmento e a importância dos ganhos com a implantação de melhorias tecnológicas, basta ver alguns números. Em 2010, 9,4 milhões de refeições coletivas eram servidas por dia no país. Em 2017, isso saltou para 12 milhões de refeições por dia, de acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas de Refeições Coletivas (Aberc). Em 2018, a estimativa era que o segmento chegasse a 13 milhões de refeições servidas diariamente.

Outro exemplo de tecnologia na alimentação corporativa é o uso de totens eletrônicos em restaurantes de empresas e indústrias. Estes equipamentos tornam possível realizar um pedido de serviço para o dia seguinte, tudo de forma informatizada, sem a necessidade de uso de papel. Os totens também trazem valiosas informações nutricionais, ao incluírem TVs acopladas.

De acordo com Fabrício De Nadai, a tecnologia alterou drasticamente a maneira como se produz e se conserva os alimentos, o que fez com que as empresas da área acompanhassem essas mudanças. Nos últimos anos, segundo o empresário, os processos de produção, armazenamento, conservação, embalagem, entre outros, garantem que a refeição chegue com muito mais qualidade no prato.

“E mais do que isso. Existem diversas técnicas e procedimentos que possibilitam não só manter a qualidade dos alimentos servidos, mas que, também, estão de acordo com práticas éticas e modelos sustentáveis, geração de alta performance e produtividade”, acrescenta Fabrício De Nadai.

A maior revolução tecnológica, no entanto, aconteceu nos equipamentos para o preparo. “As grandes equipes de trabalho foram substituídas por times mais enxutos e em constante processos de qualificação, o que determina a sua eficiência”, explica Fabrício De Nadai. Além disso, novas máquinas e equipamentos surgem a todo instante, fazendo serviços que antes eram feitos à mão com a mesma perfeição e às vezes até mesmo melhor e em um menor espaço de tempo, elevando de forma importante a produtividade.

Ainda segundo o empresário, esses equipamentos e utensílios cada vez mais modernos são responsáveis por um novo modo de produção onde são economizados insumos, energia e tempo. Com alguns desses equipamentos e tecnologias recentes é possível entregar uma grande quantidade de refeições completas em um dia de operação, sem paradas, erros, diferenças de peso ou tamanho, sem desperdícios. Trata-se, segundo Fabrício De Nadai, de um verdadeiro sonho para as empresas de Alimentação Corporativa que oferecerem seus serviços a milhares de clientes todos os dias.

“Esses equipamentos significam um alto investimento, mas são necessários e têm retorno garantido em operações que requerem processos mais eficientes em grande escala”, resume Fabrício De Nadai.

Alimentação Corporativa, no entanto, não se resume ao preparo e entrega das refeições. As inovações ainda estão presentes fora das cozinhas. A tecnologia integra também as empresas de alimentação aos seus clientes, parceiros e fornecedores de forma rápida e simples. Isso permite uma gestão logística inteligente que garante que as entregas cheguem aos restaurantes no momento certo e nas condições adequadas.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados