Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Confiança do consumidor é a maior em 4 anos, diz pesquisa

Confiança do consumidor é a maior em 4 anos, diz pesquisa
14:00 pm ,31 de dezembro de 2018

De acordo com uma recente pesquisa realizada pela FGV – Fundação Getúlio Vargas -, a confiança do consumidor chegou ao seu maior nível em mais de quatro anos (desde julho de 2014), avançando de 7,1 pontos para 93,2 pontos. O período analisado pela pesquisa foi entre os meses de outubro e novembro deste ano.

Após quedas bruscas no índice sentidos nos meses de fevereiro, abril, maio, junho e setembro de 2018, decorrentes de diferentes fatores, como a greve dos caminhoneiros, o mês de novembro fechou com alta acima do esperado. Entre as possíveis explicações para essa retomada na confiança do consumidor online e offline, a mais evidente é o resultado das eleições presidenciais.

Segundo a coordenadora da pesquisa realizada pela FGV, Viviane Seda Bittencourt, “depois de um longo período de desconfiança, os consumidores voltam a ficar otimistas em relação às perspectivas econômicas do país, às finanças familiares e ao emprego”, afirmou.

No entanto, apesar dessas boas notícias, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) alerta que, embora os consumidores se mostrem mais seguros e confiantes em relação às suas próprias condições sociais e financeiras, os lojistas devem evitar acumular grandes estoques. Outro ponto fundamental é garantir que as negociações sejam seguras ao consumidor. Afinal, nesse momento de maior disposição à compra, tudo o que os clientes menos desejam é ter sua segurança comprometida.

A proteção da loja também deve ser considerada

É importante considerar, também, que essa nova onda de consumo traz consigo, além de clientes legítimos e interessados, pessoas mal intencionadas. Dessa forma, e-commerces devem investir em soluções antifraude para evitar possíveis dores de cabeça com cartão de crédito falso, chargeback, estorno com vendas fraudulentas e outras eventualidades.

Assim, tanto para as vendas de Natal quanto para a chegada do novo ano, as lojas virtuais devem estar prontas e bem estruturadas para receber, atender e satisfazer o desejo desse consumidor, que está mais motivado e disposto a comprar.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados