Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

É possível utilizar o consórcio como capital de giro?

É possível utilizar o consórcio como capital de giro?
15:00 pm ,25 de janeiro de 2019

Engana-se quem pensa que o consórcio serve apenas para a aquisição de bens como imóveis, carros ou caminhões. Muitas empresas estão buscando a modalidade para aproveitar o dinheiro e utilizar como capital de giro.

É o que mostra o levantamento da ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio). Segundo os últimos números, mais de 15% da carteira total já são representados por pessoas jurídicas.

Ou seja, não é apenas para pessoas físicas que o Consórcio Jockey é destinado. A possibilidade de aproveitar esse sistema como capital de giro tem atraído muitas empresas nos últimos anos.

Sabe-se que o capital de giro de uma empresa é essencial para que ela funcione bem. Sem ele, fica impossível comprar matéria-prima, pagar fornecedores e arcar com outras despesas.

Porém, eventualmente, toda empresa acaba passando por um momento em que o capital de giro não é suficiente.

Consequentemente, essa situação acaba fazendo com que as empresas busquem o Consórcio Jockey para obter recursos e continuar operando normalmente. Neste caso, o consorciado pode ser tanto o dono do estabelecimento como a pessoa jurídica que ele administra.

A restrição no crédito bancário somados aos prazos mais longos e as taxas mais baratas do consórcio também facilitam a ampliação dos negócios.

Como usar o consórcio como capital de giro

Algumas administradoras permitem que o consorciado receba a carta de crédito em espécie mediante a alienação de um imóvel.

Ao optar por um consórcio como capital de giro, a empresa consegue programar os investimentos com calma, preservando os seus recursos.

Com o dinheiro recebido, o empresário pode: comprar terrenos para ampliar as instalações do seu negócio, aumentar a frota de veículos, expandir os pontos de venda, renovar o estoque, pagar serviços diversos e ainda investir no capital humano.

Entretanto, essa finalidade é usada nos planos de consórcio de imóveis. E para isso, é preciso aderir a um plano de consórcio, cuja carta de crédito seja suficiente para cobrir os gastos.

Feito isso, o consorciado deve aguardar para ser sorteado ou então dar um lance para adiantar a contemplação.

Vantagens do consórcio imobiliário como capital de giro

A grande vantagem de utilizar o consórcio como capital de giro é o custo financeiro. Acima de tudo, um plano de consórcio tende a ser mais em conta do que um empréstimo, devido às altas taxas de juros.

Podemos citar entre os benefícios do consórcio imobiliário para capital de giro:

– Planejamento: a empresa consegue se planejar para o pagamento do consórcio, levando em consideração o valor que precisa pagar por mês para receber o crédito necessário.

– Serve para todos os tipos de empresas: independentemente do tamanho da empresa ou do capital de giro que a organização precisa, os consórcio possuem opções que atendem às necessidades de cada um.

-Menos burocracia: algumas empresas não conseguem obter empréstimos bancários devido às exigências e também ao valor final das parcelas, que costuma ser alto. Em contrapartida, nos consórcios a burocracia é simples e não há cobrança de juros.

– Poder de compra à vista: com a carta de crédito em mãos, o consorciado consegue negociar, por exemplo, o valor de um terreno ou de um veículo.

Na página do Consórcio Jockey você consegue fazer as simulações, calculando as parcelas e prazos mais adequados para a sua empresa.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados