Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Exposição a ruídos no trabalho pode ser um risco para perda auditiva

Exposição a ruídos no trabalho pode ser um risco para perda auditiva
11:00 am ,5 de fevereiro de 2019

A perda da audição por exposição ao ruído pode ser colocada como um dos mais frequentes riscos ocupacionais. Trabalhadores que lidam com maquinário de grande porte ou uma carga horária prolongada de contato com equipamentos industriais podem ser prejudicados com problemas auditivos.

A perda, por sua vez, ocorre de forma gradual e nem sempre leva à perda auditiva total, no entanto, a perda é irreversível. De acordo com especialistas, as máquinas industriais são as principais fontes causadoras da perda auditiva induzida pelo ruído.

As indústrias são apontadas como ambientes que oferecem riscos à saúde auditiva dos trabalhadores. Outros locais de trabalho que podem colocar em risco a saúde auditiva dos funcionários são os aeroportos, devido às turbinas dos aviões, boates e instituições de entretenimento com músicas com volume muito alto.

A importância do uso de protetores auditivos nas empresas

É necessário que todo colaborador exposto a ruído faça uso do protetor auditivo, conhecido como o EPI (Equipamento de Proteção Individual). Cabe ao gestor verificar quais são as fontes de ruídos e entrar com ações que ajudem na redução dessa poluição sonora, de preferência, acabar por completo tanto na fonte como na trajetória, só enquanto se realiza todo o processo preventivo, ou em situações que retrair o barulho seja inviável.

Os trabalhadores expostos a ruídos acima de 85 decibéis (dB) precisam realizar exame de audiometria logo no início da admissão, sendo importante refazer a cada seis meses depois de sua contratação e, depois, anualmente, segundo a Norma Regulamentadora nº 07 (NR-07).

Os trabalhadores e empregadores devem ter atenção redobrada a qualquer sintoma, como zumbido, falta de compreensão na fala, dificuldades para identificar a fonte sonora, atenção e concentração na realização das atividades.

Dados apontam que os registros de perda auditiva têm reduzido nos últimos anos no Brasil

De acordo com os estudos, os casos de perda auditiva no país têm diminuído nos últimos anos. No ano de 2017, foram registrados 366 casos em todo o Brasil – 344, com registros de acidente de trabalho (CAT); 22, sem CAT. Já em 2016, o índice foi de 440 casos, sendo 399 com CAT e 41 sem CAT.

Portanto, é necessário lembrar que os números não coincidem com a realidade, uma vez que a perda auditiva, geralmente, não dá direito ao afastamento do trabalho, sem contar que alguns casos podem ser adquiridos ou se tornarem mais agravantes fora do local de trabalho.

É de grande importância que as pessoas, em geral, fiquem atentas a qualquer sinal de anormalidade com a audição. Ao percebê-lo, o ideal é procurar ajuda de um médico especialista no assunto.

A Dra. Inesangela Canali é uma profissional em otorrinolaringologia que oferece aos seus clientes tratamentos especializados, destacando-se, assim, como uma grande opção de otorrino em Porto Alegre e região.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados