Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Mercado da terceira idade: Oportunidades de empreendimento

Mercado da terceira idade: Oportunidades de empreendimento
15:00 pm ,4 de julho de 2018

Foi-se o tempo em que a imagem de um idoso era, obrigatoriamente, de uma pessoa debilitada, doente e que precisava ser realocada para uma Instituição de Longa Permanência do Idoso (ILPI) ou para viver com os filhos já adultos. Atualmente, o público da terceira idade chega a 26 milhões no Brasil e estima-se que em 2050 um terço da população terá mais de 60 anos de idade. Isso reflete não apenas em questões sociais, mas também na economia, Ou seja, empresas que desenvolverem soluções voltadas para o mercado da terceira idade terão um grande público consumidor.

Isso quer dizer que, além de serviços mais focados na geriatria (como medicamentos, atendimento e exames médicos, bengalas etc.), outras oportunidades surgem em áreas que visam atender ao novo perfil de idoso brasileiro: aquele que busca autonomia e independência para cuidar da sua saúde e bem-estar.

A nova terceira idade e a busca por autonomia

Nesse contexto, um ramo que se mostra promissor no país, e que já é afirmado na Europa e Estados Unidos, é a teleassistência. Esse tipo de serviço visa proporcionar segurança através de um conceito simples, mas efetivo: permitir que idosos chamem socorro e/ou contatem familiares de forma rápida e fácil, geralmente ao apertar de um botão.

“Com equipamentos que são instalados no lar dos idosos ou que podem ser carregados por eles para onde quer que se desloquem, de forma prática, o objetivo da teleassistência é justamente proporcionar a autonomia e a segurança que os idosos tanto desejam atualmente. Assim, eles podem continuar vivendo nas suas casas, levando sua vida normalmente, e com a capacidade de solicitar ajuda em casos de emergência”, destaca Gilson Esteves, CEO da Tecnosenior, empresa que é uma das pioneiras nesse setor no Brasil. A percepção do empresário já se mostra realidade entre os membros da terceira idade: 85% dos idosos esperam continuar morando em suas casas, mantendo sua autonomia e liberdade, e 70% desejam se manter ativos após a aposentadoria.

Essa busca por independência tem influência não apenas no desejo de como os idosos querem levar suas vidas após os 60 anos, mas também nas relações interpessoais dentro da famílias e como esses idosos se portam enquanto consumidores. Cerca de 67% dos idosos tomam decisões de compra sozinhos, completamente por conta própria e sem o auxílio de familiares; além disso, 64% das pessoas na terceira idade são responsáveis por toda ou pela maior parte da renda familiar. Ou seja, é um público que sabe o que quer, que tem condições de adquirir serviços e produtos que considera necessário e, mais do que isso, busca cada vez mais ter qualidade de vida.

Corporações e empresários que percebem esse cenário favorável – especialmente para quem está buscando empreender novamente após a crise – encontram diversas opções de atuação e espaço para crescer no mercado da terceira idade, que movimenta cerca de 1 trilhão de reais ao ano. “Os idosos sentem que não têm atenção suficiente, especialmente por parte das empresas. Eles sentem que não há produtos e serviços pensados para as necessidades e vontades deles, e não somente para medicar enfermidades, por exemplo”, explica Esteves.

O CEO ressalta, ainda, que a compreensão desse fator combinado ao desejo de ajudar as pessoas na terceira idade foi o motivador para investir na teleassistência: “Como nossos produtos, os idosos podem continuar morando sozinhos com autonomia e segurança, porque basta apertar um botão para contatar uma Central de Atendimento 24 horas que acionará o socorro e os contatos de emergência. Além disso, os próprios familiares se sentem mais confortáveis e tranquilos sabendo que, caso aconteça alguma coisa, serão avisados imediatamente”.

Compreender o novo perfil do idoso e, consequentemente, o novo mercado da terceira idade é estratégia fundamental para quem deseja investir nesse segmento com sucesso. Ao perceber o idoso com um consumidor qualificado, fiel, com poder aquisitivo e necessidades particulares, sua empresa terá maiores chances de cativar esse público. Apostar em inovação, serviços personalizados, atendimento de qualidade e em empreendimentos que promovam a saúde e a qualidade de vida são outras dicas que podem ajudar quem busca iniciar ou fortalecer o seu negócio.

Para saber mais sobre como você pode atuar no mercado da teleassistência, veja como ser um revendedor Tecnosenior.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados