Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Pesquisas apontam as tendências no setor de vendas para 2018

Pesquisas apontam as tendências no setor de vendas para 2018
17:00 pm ,1 de maio de 2018

O cenário econômico dos últimos anos tem sido marcado por uma lenta retomada da economia após a crise dos anos 2015-6 e a consequente recessão econômica na qual o país se viu mergulhado. Apesar disso, o mercado tem hoje boas razões para acreditar que o pior já passou.

E isso se deve principalmente às perspectivas de crescimento do PIB para 2018. Após a assombrosa retração de 3,5% do PIB brasileiro por dois anos consecutivos, 2015 e 2016, e a recuperação pífia da economia em 2017, com crescimento de cerca de 1%, as projeções agora apontam para um reaquecimento real do mercado, com previsão de crescimento do PIB da ordem de 2,75%.

Essa previsão indica uma retomada da economia – o que, para o varejo, apesar do peso dos juros e da inflação atual, é uma excelente notícia. Outra boa notícia para o setor de vendas é o crescimento de 3,1% registrado em relação ao mês de março de 2017, de acordo com o levantamento realizado pela Cielo. O destaque para esse período foram as vendas da última semana do mês, vinculadas à Páscoa.

De uma forma geral, 2018 se apresenta como um ano no qual o varejo caminha para um patamar de estabilidade, com recuperação gradual do volume de vendas, conforme aponta pesquisa do IBGE. O principal desafio que o país ainda deve enfrentar para garantir o crescimento do varejo é o desemprego, resultante de dois anos de recessão.

Tendências para o varejo

Para que as empresas consigam acompanhar e aproveitar essa retomada do mercado, é preciso se planejar desde já. Acompanhar as principais tendências do mercado varejista, investir em pesquisa de mercado e realizar constante análise de possíveis melhorias de processo e serviço: tudo isso se faz necessário na hora de enfrentar um público mais consciente e uma concorrência cada vez mais acirrada.

A seguir, confira algumas das principais tendências para o ano de 2018:

OMNICHANNEL

Quem leva a melhor na disputa entre a experiência de compra online e a experiência na venda física? Segundo a experiência das grandes marcas varejistas internacionais, como a Amazon, nenhuma delas. Ao contrário, a aposta da Amazon e de outras empresas de peso é na experiência omnichannel – um termo que indica a união do melhor de cada um desses canais de venda.

Um exemplo da venda omnichannel é oferecer ao cliente que realiza a compra no site da loja a possibilidade de retirar o produto na loja física de sua preferência, o que geraria como vantagem ao consumidor a isenção de frete. Outro exemplo é oferecer ao cliente que foi até a loja mas não conseguiu sair com o produto em mãos a possibilidade de realizar a encomenda online na própria loja, e receber o produto no conforto de casa.

NOVO PERFIL DE CONSUMO

Com a chegada e o estabelecimento dos Millennials no mercado, um novo perfil de consumo tem se desenhado no horizonte do varejo. A identificação do consumidor com os ideais representados pela marca já representa um peso tão grande quanto, ou maior, que o próprio produto ou serviço oferecido. Para atender a esse novo perfil de consumidor, é preciso investir em um atendimento diferenciado, favorecendo uma experiência de compra única, personalizada.

No campo do marketing, uma nova forma de dialogar com o público-alvo das campanhas tem se desenvolvido em resposta a esse novo perfil de consumidor: o Inbound Marketing. O grande diferencial desta tendência em marketing é a busca por conquistar e criar laços duradouros com o público-alvo através do oferecimento de conteúdos online que sejam, a um só tempo, relevantes para o cliente e representativos da identidade da marca. O uso de novos canais de comunicação, em especial WhatsApp e perfis em redes sociais como Facebook, Twitter e Instagram, são outras boas formas de conseguir alcançar e conquistar os Millennials.

AUTOMAÇÃO COMERCIAL

A demanda por um atendimento que seja não apenas focado no cliente, mas cada vez mais personalizado, tem consolidado a opção de varejistas pelo uso de sistemas de automação comercial. Esta tendência se justifica justamente porque uma das principais funções deste tipo de sistema é a otimização do tempo dos lojistas, permitindo que administrem processos repetitivos ou até então manuais através de um sistema 100% automatizado.

Além disso, outras informações essenciais para a saúde financeira da loja podem ser administradas nesse tipo da plataforma: é possível realizar controle de custos, gerenciamento de estoques, emissão de notas fiscais e até geração de boletos bancários. A integração dessas informações permite ao varejo uma maior confiabilidade nas informações passadas ao cliente, maior agilidade no contato com fornecedores e tempo para focar naquilo que realmente importa: conquistar o cliente.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados