Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Quando o imóvel precisa de ajuda?

Quando o imóvel precisa de ajuda?
15:00 pm ,19 de março de 2019

A qualidade do ar vem ganhando cada vez mais importância, principalmente pela degradação do ambiente, bombardeado pelo excesso de poluição que já chega à beira do insuportável pelo organismo humano. E este cenário fica ainda pior quando se tem a consciência de que há uma nova realidade e que, em ambientes fechados, a responsabilidade sobre o ar passou a ser de cada um.

Atualmente todo e qualquer espaço de habitação e bem-estar deve reunir as condições necessárias para uma vida saudável, sob pena de ser colocada em risco a saúde e sobre isso impacta diretamente a qualidade do ar. Já existe, por parte dos construtores de imóveis, uma preocupação maior sobre a sanidade das construções.

Existe uma correlação estreita entre o ambiente, saúde e bem-estar. Assim como nós, é necessário que também o nosso ambiente seja saudável. Casos emblemáticos e históricos envolvendo personalidades conhecidas nos dão uma prova da importância de manter o controle sobre o ambiente. Quando do falecimento da atriz norte americana, Brittany Murphy, em 2009, o motivo da morte foi dado como anemia e pneumonia e na época não se exigiu maiores explicações. O falecimento do marido, apenas 5 meses depois e sob as mesmas circunstâncias, abriram novas discussões. Aviltou-se, a partir daí, a possibilidade de que estivessem no imóvel as causas das mortes tanto de um quanto de outro.

No Brasil também tivemos um caso de personalidade cuja morte pode estar ligada a problemas de “saúde” do prédio. Aconteceu ainda na década de 90, quando o ministro das Comunicações Sergio Mota faleceu em circunstâncias estranhas. Mota sofreu um agravamento em seu quadro clínico e as suspeitas recaíram sobre a suspeita de fungos dispersos pelo ar. Esse diagnóstico se encaixa em um tipo de síndrome que ocorre principalmente nos edifícios mais velhos.

Tratando-se nos casos de edifícios mais antigos, a própria OMS – Organização Mundial da Saúde reconheceu a existência da SED – Síndrome do Edifício Doente. Basicamente, diz respeito aos casos em que a saúde acaba sendo comprometida em função de problemas apresentados pela edificação. Layout, face do edifício, problemas crônicos de “umidade”, são algumas dessas causas, sendo a umidade uma das de maior relevância. O próprio ar que circula por edificações doentes, notadamente, apresenta qualidade deplorável por onde se dispersam as mais variadas impurezas. Notar que a SED não se restringe apenas a prédios, mas a qualquer tipo de edificação. Os sintomas mais comuns entre os ocupantes são: olhos e nariz irritados, dores de cabeça e falta de concentração. A qualidade do ar interfere diretamente na produtividade das pessoas.

Zelar pela qualidade do ar é tão importante que implica em subtrair e eliminar impurezas. A adoção de métodos responsáveis de purificação do ar, como o emprego de purificadores elétricos são soluções cada vez mais necessárias. Desenhados exclusivamente para devolver ao ambiente um ar mais saudável, o purificador elimina partículas em suspensão, inclusive microrganismos, responsáveis pela proliferação de fungos, bactérias e ácaros.

A Thermomatic disponibiliza no mercado o Purifik Air que livra o ambiente de impurezas chegando ao impressionante índice de 99,97% das partículas em suspensão. Além disso, a empresa também comercializa o desumidificador de ar, equipamento que controla a umidade do ambiente evitando a proliferação de mofo e bolor.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados