Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Saúde suplementar tem um terço do saldo de emprego do país em maio

Saúde suplementar tem um terço do saldo de emprego do país em maio
14:00 pm ,13 de julho de 2018

O estoque total de empregos na saúde suplementar apresentou crescimento em todas as regiões do país em maio de 2018 de acordo com o “Relatório de Emprego na Cadeia da Saúde Suplementar”, boletim mensal do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) que mostra o número de trabalhadores empregados pela cadeia de saúde suplementar (que engloba os fornecedores de materiais, medicamentos e equipamentos; prestadores de serviços de saúde; e, operadoras e seguradoras de planos de saúde).

No período de 12 meses compreendido entre maio de 2017 e o mesmo mês desse ano, o número de pessoas empregadas formalmente no setor cresceu 2,7%, enquanto o total da economia apresentou leve variação positiva de 0,5%. “Há mais de um ano, o nosso boletim mostra que a saúde suplementar sempre foi um contraponto ao total da economia. É bom perceber que, mesmo a passos lentos, o mercado de trabalho formal começa a avançar no país”, comenta Luiz Augusto Carneiro, superintendente executivo do IESS. “A expectativa é de que, no médio prazo, o avanço do emprego represente também mais acesso à saúde suplementar por parte dos brasileiros”, avalia.

A nova edição do relatório mostra que o saldo de emprego na saúde suplementar representou mais de um terço do total do país em maio desse ano. Enquanto o aglomerado da economia nacional teve saldo de cerca de 33,6 mil vagas, o segmento registrou 13,5 mil de saldo no período. Esse dado foi positivo para todas as regiões do país, com destaque para o Sudeste, que foi responsável por mais de 7 mil desse total.

Subsetores
Na análise por subsetor do período de 12 meses encerrado em maio de 2018, os segmentos de Prestadores e Fornecedores foram os que registraram o maior crescimento, de 2,7%, seguidos pelo das Operadoras, com expansão de 2,6%. Na cadeia produtiva da saúde suplementar, o subsetor que mais emprega é o de prestadores de serviço (médicos, clínicas, hospitais, laboratórios e estabelecimentos de medicina diagnóstica), correspondendo a 2,5 milhões de ocupações, ou 71,5% do total do setor. Já o subsetor de Fornecedores emprega 831,3 mil pessoas, 24,1% do total. As operadoras e seguradoras empregam 153,5 mil pessoas, ou seja, 4,4% da cadeia.

Vale lembrar que o IESS criou um indicador de base 100, tendo como ponto de partida o ano de 2009 para deixar mais clara a relação entre os empregos gerados pelo setor de saúde suplementar e o conjunto da economia nacional. Em maio de 2018, o índice para o estoque de empregos da cadeia suplementar foi de 138, mesmo nível do mês anterior. Já o número-índice da economia total também se manteve estável em 110.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados