Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Sudeste lidera alta da inadimplência no país, revela SPC Brasil

09:51 am ,19 de agosto de 2014

Em julho, o indicador regional de inadimplência do consumidor do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) registrou crescimento no número de pessoas inadimplentes em todas as cinco regiões do país. A região Sudeste lidera a alta com um aumento de 5,32% em relação a julho do ano passado. Seguindo a mesma base de comparação, a região Norte ficou em segundo lugar, com avanço de 5,07% no mesmo período. De acordo com os dados, a região Sul é a menos inadimplente, com um avanço de 4,85%.

De acordo com o levantamento, todas as regiões apresentaram crescimento no número de inadimplentes. Para o presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior, o fato de todas as regiões apresentarem crescimento na quantidade de inadimplentes mostra que a atividade do país como um todo está desacelerando em comparação com os anos anteriores.

“O avanço da inadimplência não se deve apenas a fatores sazonais ou regionais. O detalhamento do indicador mostra que o atual panorama macroeconômico tem impactado negativamente no atraso de pagamentos das dívidas no Brasil de uma forma generalizada”, diz o presidente da CNDL.

Sudeste concentra mais inadimplentes
O detalhamento que aponta a participação de cada região sobre o total de inadimplentes mostra que, em julho deste ano, o Sudeste e o Nordeste concentravam 40,08% e 26,15% das pessoas físicas com dívidas em atraso no Brasil, respectivamente.

Segundo a economista do SPC Brasil, Marcela Kawauti, a participação de cada região no total de dívidas tem forte relação com a representatividade da região na economia brasileira como um todo. “A região Sudeste, é a que tem maior participação no total de inadimplentes, com 40,08% da fatia. Por outro lado, esta região também é a que reponde pela maior parte do PIB brasileiro, com 55,4%, segundo dados do IBGE”, explica a economista.

Número de dívidas
Com relação ao crescimento do número de dívidas, as maiores altas anuais foram registradas nas regiões Norte e Nordeste, que mostraram avanços de 7,70% e 6,45%, respectivamente. Em termos de participação, o Sudeste novamente se destacou, concentrando 40,20% das dívidas registradas em todo país.

Roque Pellizzaro Junior explica que a análise do indicador de dívidas regional mostra que a tendência para o segundo semestre deste ano ainda é de crescimento da inadimplência. “Fatores como a alta dos preços, o elevado nível de endividamento das famílias e as taxas de juros em patamar alto devem apertar o orçamento dos consumidores e manter a inadimplência em aceleração até o fim do ano”, disse.

Comentarios

Comentarios

Copyright © 2015 WEspanha. Todos os direitos reservados